Com R$ 70 milhões de luvas da Rede Globo pela renovação do contrato do Brasileiro até 2024, o Flamengo teve aprovada na última segunda-feira a entrada de mais R$ 6 milhões no orçamento de seu futebol profissional nesta temporada. O objetivo é reforçar a defesa com esse dinheiro e, assim, contratar ao menos mais uma peça. Juninho, do Coritiba, voltou a ser procurado enquanto Jackson, do Inter, foi sondado.

Não está descartada a investida em mais de um nome para o setor.

Com a verba, a diretoria rubro-negra deverá superar R$ 30 milhões em gastos no mercado em 2016. Ao todo, foram 10 jogadores trazidos até aqui.

Em sua estimativa inicial, o time da Gávea projetava R$ 22 milhões em custos com compra de direitos econômicos neste ano. Ela acabou sendo superada e ficando em R$ 26 milhões no primeiro semestre - foram desembolsados, por exemplo, R$ 5,449 milhões em parcela pelo colombiano Gustavo Cuéllar.

Existe a análise de que a zaga segue como ponto fraco do Fla com a dupla titular Juan e Wallace.

Além de Juninho, o departamento de futebol do clube tentou recentemente Diego Polenta, do Nacional-URU, Donatti, do Rosario Central-ARG, e Jackson, que está trocando o Inter pelo Bahia, também sem sucesso.

622 e8324f9e 69a4 3e02 8974 0399eb0c83c7
Muricy confirma 3 atacantes contra o Fortaleza: 'Só jogamos assim' 

Nem toda a grana recebida da Globo terá como destino o elenco rubro-negro, no entanto: R$ 21 milhões servirão para o pagamento de impostos e penhoras, R$ 14 milhões para o CT e R$ 4 milhões para o Consórcio Plaza (responsável pelo empréstimo para a contratação de Edmundo nos anos 90), dentre outros investimentos.

A diretoria rubro-negra mantém o discurso de que o repasse ao futebol será, de fato, maior somente a partir de 2017.

Ainda assim, trabalha para responder após as eliminações precoces no Campeonato Carioca e na Primeira Liga.