Com golaço do estreante Max, Flamengo vence o Nova Iguaçu na estreia do Carioca

O choro do jovem Max no fim da partida resumiu o que foi a estreia do Flamengo no Carioca. Não foi o jogo pós-octa brasileiro que a torcida queria. Mas foi como tinha que ser. Com os medalhões do elenco em período de folga, coube a um time de garotos representar o clube. A vitória por 1 a 0 sobre o Nova Iguaçu não condiz com uma festa de título. Mas não era noite para cobrar espetáculo. Era o momento para os meninos aparecerem. E ninguém brilhou mais do que o meia Max.

Mineiro de 19 anos, ele chamou a atenção do Flamengo na Copa São Paulo do ano passado. Do Tupi, de Juiz de Fora-MG, transferiu-se para o sub-20 rubro-negro. onde já havia chamado a atenção ao marcar um gol olímpico nos juniores do Vasco. Pouco mais de um ano depois, voltou a aparecer com um golaço. Mas agora pela equipe principal. No último minuto do jogo, o meia acertou um belo chute de fora da área que encobriu o goleiro e entrou no ângulo.

A euforia pelo gol na estreia pelos profissionais em pleno Maracanã se misturou com a lembrança do pai já morto. E Max não segurou as lágrimas na comemoração e na descida para o vestiário após o apito final.

— Tenho certeza que meu pai está me olhando lá de cima. Uma vez ele falou comigo que eu iria chegar no Flamengo e fazer várias histórias nesse clube — disse.

O brilho de Max nos acréscimos foi o ponto alto de uma noite de poucas emoções. A falta de entrosamento falou mais alto, e os jogadores do Flamengo tiveram muita dificuldade para furar a retranca do Nova Iguaçu. A tendência é que no sábado, contra o Macaé, o desempenho melhore. Para este jogo, o time deve ganhar alguns reforços de jogadores mais experientes que não eram titulares da equipe de Rogério Ceni.

Fonte: Extra
)