Zico 68 anos: veja 10 curiosidades sobre a carreira e a vida do maior ídolo da história do Flamengo

Nas últimas quatro décadas, a torcida do Flamengo se acostumou a celebrar o "Natal Rubro-Negro" em 3 de março. Isso porque foi neste dia, em 1953, que nasceu Arthur Antunes Coimbra, o Zico. Nesta quarta-feira, o maior ídolo da história do clube carioca completa 68 anos e, como homenagem, o LANCE! listou 10 curiosidades sobre a vida dele.

+ De Matheus Cunha a Wewerton, conheça as caras novas que vão defender o Flamengo no início do Carioca

1. Origem e início de carreira

Nascido em Quintino, o jovem Arthur começou sua trajetória no esporte jogando futsal pelo Juventude, equipe tradicional do bairro so subúrbio carioca. A história dele no Flamengo começou aos 14 anos de idade, após ser indicado por Celso Garcia, radialista amigo da família, que o viu jogar em um torneio de futsal pelo River FC. Nessa partida, Zico marcou 10 dos 15 gols do seu time.

2. Apelidos

Logo na infância, o apelido Zico foi dado por Ermelinda Rolim, prima de Arthur. Ao chegar ao Flamengo, Zico ganhou outra alcunha: "Galinho", por causa do seu físico franzino, marcado pela baixa estatura e pela magreza. Por fim, ele se tornou o Galinho de Quintino, por causa do bairro onde foi criado e morava na época.

3. Estreia como profissional com a "9" e em clássico

Após chegar às categorias de base em 1967, Zico deu os primeiros passos no time profissional em julho de 1971, com apenas 18 anos. E a partida de estreia foi logo um clássico contra o Vasco, no Maracanã. Com a camisa 9, o jovem foi escalado pelo treinador Freitas Solich na ponta-direita e participou da vitória por 2 a 1, com direito a gol salvador de Fio Maravilha no último minuto.

4. Média de 0,75 gols por jogo na primeira passagem

Após a estreia aos 18 anos, Zico ainda passou por um trabalho especial para ganhar porte físico e, a partir disso, entrou para a história do clube. Entre 1971 e 1983, disputou 635 partidas e marcou 476 gols. De quebra, liderou o Flamengo nas conquistas da Libertadores e do Mundial, em 1981, além de três Campeonatos Brasileiros (1980, 1982 e 1983) e seis Cariocas. Em 1983, foi vendido à Udinese, da Itália, por 4 milhões de dólares.

5. Retorno ao Fla e lesão marcante

Após 53 jogos e 30 gols pelo clube italiano, Zico decidiu voltar ao Flamengo no segundo semestre de 1985. Mas, em agosto daquele ano, a alegria virou tensão na partida contra o Bangu, pelo Carioca. Ao sofrer um carrinho violento de Márcio Nunes, o camisa 10 sofreu torções nos dois joelhos e no tornozelo esquerdo, além de escoriações na perna direita e uma contusão no perônio esquerdo, que quase o fizeram pendurar as chuteiras. Foram necessárias três cirurgias, e o Galinho voltou a jogar no ano seguinte, mas nunca mais da mesma forma.

6. Top-5 da Seleção Brasileira

Mesmo sem conquistar a Copa do Mundo, Zico gravou seu nome entre os maiores da história da Seleção Brasileira. Entre 1976 e 1989, ele disputou um total de 71 partidas oficiais e marcou 48 gols marcados. Ainda hoje é o quinto maior goleador, ficando atrás de Pelé (77 gols), Neymar (64), Ronaldo (62) e Romário (55).

7. Ídolo do outro lado do mundo

Após pendurar as chuteiras em 1989, Zico voltou ao futebol em 1991 para um desafio no futebol japonês. Peça importante do plano de popularização do esporte no país asiático, o meia disputou três temporadas pelo Kashima Antlers (à época chamado de Sumitomo Metals) - com 48 gols em 65 jogos. Desde então, ele é idolatrado no Japão e atualmente trabalha como diretor técnico do Kashima.

8. Aventura na areia

Após se aposentar do campo novamente, Zico ainda se aventurou como jogador de futebol de areia. Entre 1995 e 1996, marcou 41 gols pela Seleção Brasileira da modalidade e conquistou diversos títulos, como o Campeonato Mundial (duas vezes), a Copa América e o Torneio Internacional do Japão.

9. Experiência como treinador

Após três anos como diretor técnico do Kashima Antlers, Zico iniciou a carreira como treinador no clube japonês em 1999. Em 2002, assumiu o comando da seleção do Japão e liderou a equipe até a Copa do Mundo de 2006. O Galinho ainda comandou a seleção do Iraque entre 2011 e 2012 e dirigiu clubes como Fenerbahçe (Turquia), CSKA (Rússia), Olympiacos (Grécia) e FC Goa (Índia).

10. Recordes

Em uma carreira de tanto destaque, Zico alcançou diversas marcas impressionantes. Ele é o maior artilheiro de todos os tempos no Maracanã com 333 gols marcados. Também é o maior artilheiro do Fla-Flu com 19 gols. Com duas bolas de ouro, cinco bolas de prata e ainda dois prêmios de artilheiro, é o maior vencedor da história do prêmio da revista Placar. Em 1979, foi o maior artilheiro do futebol mundial com 89 gols marcados.

Curiosidades Zico - Flamengo

Zico completa 68 anos nesta quarta-feira (Arte: LANCE!)

Fonte: Lancenet
)