O torcedor do Flamengo Leandro Campos e o vice de futebol, Marcos Braz, tiveram uma reunião nesta semana e entraram em um acordo para encerrar as ações na Justiça por agressão . Com isso, o dirigente se vê livre de todos os processos envolvendo a agressão ao entregador, já que também obteve vitória no clube com a decisão da Comissão Permanente de Assuntos Jurídicos do Flamengo de arquivar um pedido de suspensão feito por conselheiros.
O acordo entre o torcedor do Flamengo e Braz foi divulgado inicialmente pelo jornalista Lauro Jardim e confirmado pela reportagem de O Dia. Ficou acertado que o entregador retira o processo da esfera criminal por lesão corporal e não entrará na cível para pedir indenização .
Por outro lado, o dirigente também não vai mais processá-lo por perseguição. Segundo o site 'ge', também ficou acordado que Braz pagará uma valor extrajudicial a Leandro .
O fim do caso acontece pouco depois da divulgação de imagens de câmera de segurança de um shopping na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, mostrarem o dirigente agredindo Leandro Campos , o que desmente a versão dada por Braz . O caso ocorreu em setembro do ano passado.

Relembre o caso

No dia 19 de setembro, Braz estava no Barra Shopping acompanhado da filha de 14 anos, quando foi abordado e cobrado por um torcedor, em razão do momento turbulento da equipe. Leandro Campos, que trabalha como entregador, disse que pediu para que o dirigente saísse do Flamengo, mas ele não gostou e partiu para a agressão . O torcedor também afirmou ter sido mordido.
No mesmo horário, acontecia uma votação de caráter urgente na Câmara de Vereadores do Rio . Braz, que também é vereador, chegou a realizar um pré-registro de presença, mas não compareceu para cumprir o seu dever. O painel da votação exibiu um sinal de interrogação ao lado do nome do vereador durante a sessão que envolvia uma discussão para autorizar a Prefeitura do Rio contrair um empréstimo de R$ 702 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No mês de outubro, o vereador teve um desconto no salário por conta da falta.