Rio - O primeiro título de 2024 chegou na Gávea. Ao bater o Madureira pelo placar de 3 a 0, com gols de Arrascaeta, Pedro e Léo Pereira, o Flamengo levantou o troféu da Taça Guanabara, a fase de classificação do Campeonato Carioca. Após a partida, o técnico Tite valorizou e celebrou a conquista.
Em 2023, o Flamengo ficou marcado por um ano de muitas disputas e nenhum título - mesmo que cercado de expectativas devido ao trabalho das temporadas anteriores. Agora, na primeira chance, já levantou o primeiro troféu sob o comando do experiente treinador ex-seleção brasileira. A Taça Guanabara é algo simbólico na visão de Tite devido à evolução.
"É difícil dimensionar esses aspectos. O que posso dizer é a satisfação do desenvolvimento do trabalho. A gente não quer só ser campeão, queremos ser campeões com um grande futebol, sendo melhor que o adversário, sendo a equipe mais disciplinada do campeonato. Somos a equipe mais disciplinada com exceção de um cartão vermelho do Thiaguinho. Para ganhar não precisa apelar, fica essa mensagem", destacou.
Quem desfalcou o Rubro-Negro na última rodada da Taça Guanabara foi o ídolo Gabigol, em recuperação de uma lesão muscular - ele, inclusive, teve sua permanência no clube garantida pelo presidente Rodolfo Landim. Tite ressaltou a importância do atacante para o projeto.
"O Gabi é um grande atleta e que precisa estar na sua melhor condição porque o Flamengo vai ganhar com isso. O Flamengo, com entidade, é o máximo. Ele machucou, infelizmente. A última palavra, é uma informação, foi dele. Ele disse para valorizarmos dentro de campo porque é bom demais. Ele foi uma das pessoas dessa integração."

Confira outras respostas de Tite:

Definição do título em uma frase
"Equipe e solidariedade. Eu ia colocar o Matheus (Cunha) para jogar. Por que? Ele teve grandeza de não viajar conosco, ter grandeza de fazer dois jogos difíceis aqui, ficar longe do técnico e conhece-lo e quis trabalhar. Pela grandeza, ele merecia. Tinha grande chance de começar o jogo. Ele disse que não precisava me colocar porque o Rossi estava muito perto de bater o recorde histórico do Flamengo (de mais minutos sem levar gol)."
Utilização de De La Cruz na posição de Gerson
"Eu não penso nada (risos). O campo, a bola que fala. Quero ter o Gerson, sim, de volta. Todos os atletas, o Wesley, o Gabi, ter todo poderio para que a gente possa desenvolver o nosso melhor.
César (Sampaio): "Nós já sabíamos dessa versatilidade do Nico. São bons problemas. Gerson é nosso capitão, tem uma presença nesse todo. São boas soluções que temos nesse calendário árduo. Nós estamos entendendo o atleta. Não é só de lá para cá, é de nós para com ele."
Equilíbrio em campo
"Ter equilíbrio é muito difícil, como treinador e pessoa. É desafiador. Ter uma equipe que entenda dessa forma também é. É fazer os atletas entenderem que uma marcação alta pode dar espaços na defesa, são riscos. Mas a medida que você marca alta você desgasta o adversário. Tem que saber jogar em bloco médio. É muito difícil jogar em contra-ataque, é também desafiador. Se você fez três gols, daqui a pouco a exigência é maior. É sempre desafiador."
Elenco e convocações
"Hierarquias. Eu vou trabalhar sempre para que todo atleta do Flamengo seja convocado para a sua seleção. Vou fomentar isso o tempo todo. Ele vai até a minha hierarquia, que é a técnica. A partir daí, há uma hierarquia diretiva, que você fala com CBF e tudo. Há interesses do clube e dos investimentos que faz."