"Um resultado inconteste". Essas foram as palavras de Tite para definir a atuação do Flamengo na vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense no último sábado (9), no Maracanã. Em entrevista coletiva concedida após o jogo de ida das semifinais do Campeonato Carioca, o treinador rubro-negro enaltecer a atuação de seu time, entretanto, afirmou que a série ainda não está definida.
"Um grande jogo. Um jogo digno da grandeza do Fla-Flu, da qualidade técnica das duas equipes, de uma grande apresentação. E um resultado inconteste. Não dá para avaliar os números agora, não tem jeito. A adrenalina fica projetando uma semifinal ainda aberta", iniciou Tite, antes do auxiliar Cléber Xavier complementar a fala do treinador.
"Demos poucas chances ao adversário. Foram poucas finalizações e nenhuma no gol. Fomos efetivos nas opções de ataque, e poderia ter tido alguma situação mais clara. Mantivemos a média de não tomar gol e fazer dois ou mais gols. Estamos felizes pela grandeza do adversário, mas com a consciência de que sábado continua", comentou o auxiliar.
Com o resultado, o Flamengo só não se classificará para a final do Carioca caso perca por três gols de diferença para o Fluminense no jogo de volta. Entretanto, isso foi algo que aconteceu na decisão do último estadual, onde o Rubro-Negro venceu a ida por 2 a 0 e foi derrotado para o Tricolor na segunda partida por 4 a 1.
Questionado sobre como manter o grupo motivado para o jogo da volta para que um novo revés não aconteça, Tite comentou sobre sua relação com o elenco do Flamengo.
"Eu entendo a pergunta. Você usou a conotação de família. Mas não é uma família. Família é sagrada. Pai, filho, mãe, não tem igual. Tem uma relação de profissionais que são transparentes e leais. Que querem trabalhar. E querem merecer através do trabalho. Não quer tirar nada do adversário ou de arbitragem, mas também não quer que ninguém tire o que é seu. É um direito que ela tem. Ela procura dentro do trabalho se fazer merecedora. Às vezes o jogo do desempenho não é o jogo do placar, mas às vezes se traduz. Não temos familiares, temos um grupo extraordinário", garantiu Tite.
O jogo de volta das semifinais do Campeonato Carioca entre Fluminense e Flamengo acontece no próximo sábado (16), às 21h, no Maracanã. Quem se classificar para a final, enfrentará o vencedor entre Nova Iguaçu e Vasco.
Confira mais respostas de Tite na entrevista coletiva:
Arbitragem e um possível pênalti para o Flamengo
Tite: "Eu vi, tenho uma opinião, mas é a direção que vai falar a respeito disso."
Poucos gols
Tite: "Tem o Fábio no gol do outro lado, né? (risos)"

Cléber Xavier: "Trabalhamos normalmente essa semana. Trabalhamos muito finalização e outras valências - táticas e técnicas. E vamos continuar trabalhando. Trabalhando movimentações estratégicas. Bolas de fundo e bolas frontais. O trabalho é esse. A gente quer evoluir jogo a jogo."
Atuação de Pulgar
Cléber Xavier: "O Erick faz grandes jogos. Ficou fora de uma ou duas partidas. Não lembro de foi denge. Mas ele voltou bem. Ele é um grande jogador. Faz função de primeiro, de segundo. Hoje fez um grande jogo novamente. Sentiu um pouco. Entrou o Igor que fez um bom jogo de novo. É um menino que vem crescendo."

Tite: "Erick é um grande jogador. Grande jogador."
Defesa
Cléber Xavier: "A gente no processo defensivo faz a marcação nas três alturas. Fizemos pressão alta, forte. Com todas as formas que eles têm de saída. Na média também estávamos organizados. Na baixa, a gente já vem trabalhando e conforme o adversário a gente muda. Estudamos muito os adversários para isso. Não é a melhor defesa. É o time. É o time que se defende. Eles têm solidariedade. É o coletivo para jogar, mas também para defender. A gente bate na questão do equilíbrio: quanto menos tomar gol é importante, mas também buscar o gol com a posse. Roubar a bola na frente é levar perigo no adversário. A gente fez bem. Temos evoluído."

Tite: "Ele (Cléber Xavier) fala em consistência defensiva e o Matheus (outro auxiliar) fala em fazer gol. Esse é o equilíbrio (risos)."
Chegada de Léo Ortiz
Tite: "O Flamengo projeta uma equipe a médio e longo prazo. Independente do técnico. Tem dois atletas que estão jogando muito e selecionáveis. Tem o David que é um extraordinário jogador. Tem o Bahia surgindo e procurando espaço. Saiu o Pablo e o Rodrigo Caio. Tem que ter na estrutura um jogador desse nível para reposição. O Léo (Ortiz) se encaixa. Tanto no perfil técnico quanto no perfil 'pessoa'".
Igor Jesus
Cléber Xavier: "O Flamengo tem por tradição revelar jogadores. Igor fez uma cirurgia no ano passado, se recuperou, trabalhou com a gente na pré-temporada. É importante ter grandes atletas para ensinar algumas coisas. O Sampaio, que foi um grande volante, é quem tem o cuidado com os jogadores da profissão. O Igor é um grande jogador que vem crescendo, tem muito para evoluir, e é uma grata surpresa. Fez um bom jogo de novo."
Houve um recuo no início do segundo tempo?
Tite: "Não, foi pela qualidade do Fluminense. Quando tem um Fla-Flu com tantos jogadores com qualidade técnica, inevitavelmente eles vão saber construir. Foi mérito do Fluminense, não uma ideia nossa (recuar)."
Atuação de Everton Cebolinha
Tite: "Eu vou dar só um dado e o Cléber vai falar mais a respeito. Nos últimos quatro trabalhos aqui no Flamengo, sabe quem fez mais gol em média? Vítor Pereira. Isso é para equilibrar as situações. Eu busco olhar o saldo de gols. Quando tu olha o saldo de gols, você tem uma estatística mais fidedigna. Se a equipe não faz gols, há problema. Se leva muitos gols, há problema. É difícil para caramba. Assim como é difícil vir aqui e ter uma série de jogadores com condições de começar o jogo pela qualidade, trabalho que têm, prateleira que têm. Tenho que optar e eu não curto vitórias na plenitude porque não consigo dar chances para todos que mereciam. Mas esse trabalho humano eu faço questão de colocar, porque abri a palestra de hoje falando sobre isso. Temos um respeito muito grande a eles."
Cléber Xavier: "Nós temos hoje no grupo três externos com característica de um contra um: Cebolinha, Bruno Henrique e Luiz Araújo. Tem o Werton, menino da base que tem treinado bem. Tem a questão de usar meias flutuando, como foi o Victor Hugo hoje. Matheusinho e Nico em outras ocasiões, Gerson também pode fazer. Todos eles têm as suas funções bem determinadas nas três fases do jogo. Eles estão entendendo essas questões de posicionamento ofensivo e defensivo e o ganho é de todos."