Rio - Foi sofrido, mas o Flamengo venceu o Botafogo nos acréscimos pelo placar de 1 a 0 com gol marcado pelo zagueiro Léo Pereira, pela sétima rodada do Campeoanto Carioca. Apesar da oscilação em campo, o técnico Tite, em entrevista coletiva após o jogo, elogiou o segundo tempo da equipe e considerou a vitória merecida no clássico.
"Equipe que teve domínio e controle no segundo tempo total. Que fez jus e mereceu vencer. No primeiro tempo ainda teve alguns momentos do Botafogo pela qualidade, pela boa equipe, pelo técnico que tem, a jogada de velocidade puxada de contra-ataque, mesmo assim neutralizada", iniciou o treinador rubro-negro.
Este foi o segundo clássico consecutivo que Léo Pereira se destaca. Antes, contra o Vasco, o zagueiro salvou o que seria o primeiro gol do Cruz-Maltino ainda no primeiro tempo e foi um dos melhores em campo com grandes intervenções também na segunda etapa. Sobe o zagueiro, o auxilar Cléber Xavier foi só elogios.
"É um menino que terminou muito bem o ano, nos 12 jogos, foi um dos jogadores com nível alto. E começou bem o ano, tem qualidade no posicionamento defensivo, nas coberturas, e também nos ofensivos, com construção, bola longa, diagonal e bons passes. E hoje teve a felicidade no cabeceio. Ele ataca muito o primeiro pau nos escanteios. Hoje fez um gol no segundo. Pode aparecer em qualquer lado. É importante para ele. Ficamos felizes pelo jogo passado que fez defensivo perfeito. E hoje mesmo que não tenha salvado, ajudou bastante", destacou.
Com o resultado sobre o rival, o Flamengo pulou para a segunda colocação do Campeonato Carioca, com 12 pontos somados. O próximo compromisso do Rubro-Negro será no sábado (10), às 16h (de Brasília), contra o Volta Redonda, no Maracanã, em jogo atrasado válido pela terceira rodada.
Veja outras respostas de Tite:
Rodízio na lateral direita
"Teste não. Com jogadores desse nível... Eu tenho um carinho muito grande pelo lado humano de todos. Como técnico tenho que escolher. Sei do trabalho por trás do pano. Não me engano. Não boto panos quentes em situação. Falo porque sinto. Tenho que escolher e tenho respeito muito grande por eles. Antes do jogo, coloquei isso a eles antes de começar o jogo e fazerem o aquecimento, falei que a preparação seria fundamental para entrar e ser decisivo. Não porque sou advinho, o futebol é assim, te traz isso. No lado direito, o Varela dá quando a jogada é de combinação e dá o timing para passar. O Wesley não precisa nem de timing, só o lançamento longo já dá infiltração."
Falta de criatividade
"Coordenação fina se pega com o tempo. O atleta vai adquirindo sua melhor condição. Estou falando de todos: nós, Botafogo, todas as equipes. Ela retoma uma finesse maior com a sequência de jogo. É da jogada individual, mas é do posicional. A gente não engessa na frente, dá o plano criativo. Por vezes vai ser do drible, da tabela, da assistência... O Arrascaeta é um jogador assim. Ele fala para você que precisa da sequência de jogos. Eu ouvia mesmo quando não era do Flamengo. Os jogadores são assim, precisam para encontrar essa finisse.
Troca de Pedro por Gabigol
"A torcida deu apoio. Ela estava até um pouco impaciente pelo resultado. Temos que entender a reação da torcida. Às vezes tocava uma bola de lado e ela reclamava. Reclamava aqui atrás do banco. Mas não dá para perder a consciência, que vai sair de qualquer jeito e fazer o gol. Por isso que falo para os atletas terem maturidade. Vai dando crédito. Titularidade é a sequência de jogos que dá. São os momentos de cada um. Pedro tem sido o goleador.
Evolução
"Manteve consistência, nível de concentração, que é muito difícil. Com a pressão e necessidade do resultado que a grandeza do Flamengo requer. Sei disso, muito claro. Não pense que não sei que se não ganhar não estarei técnico do Flamengo. Mas sei que tem um processo para a evolução acontecer. A primeira bola do jogo foi representativa. Ela dá e o Pedro finaliza de média distância. Está trabalhando nesse sentido."