Rio - O Flamengo teve seu recurso sobre o título brasileiro de 1987 negado pelo Superior Tribunal Federal (STF). Em decisão publicada na última segunda-feira (4), o Ministro Dias Toffoli manteve o Sport como único campeão daquele ano e o São Paulo como dono da Taça das Bolinhas, dada ao primeiro pentacampeão brasileiro. A informação foi dada primeiramente pela Jovem Pan.
Ao negar o Recurso Extraordinário com Agravo ao Flamengo, Toffoli justificou relembrando outras decisões da Justiça e citando o regulamento das competições esportivas.
"Assim, o reconhecimento, em definitivo, do Sport Clube Recife como único campeão legítimo do torneio brasileiro de futebol 1987, conduz à inexorável improcedência do pedido formulado na ação principal", diz um trecho do documento.
Em 2018, o STF já havia dado decisão favorável ao Sport. Na época, o Tribunal definiu sua decisão final transitada em julgado após negar dois recursos do Flamengo. O episódio foi lembrado por Toffoli em sua decisão.
"Nesse contexto, mostra-se correta a conclusão alcançada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro de que o Supremo Tribunal Federal reconheceu, em definitivo e por acórdão transitado em julgado em 16/3/2018, que a sentença proferida pela Justiça Federal do Estado de Pernambuco na ação declaratória e de obrigação de fazer proposta pelo Sport Clube Recife (...) declarou de forma inconteste como o único e legítimo campeão do torneio brasileiro de futebol de 1987", escreveu o Ministro.
No recurso que foi negado na última segunda-feira, o Flamengo também solicitava a revisão da Taça das Bolinhas, entregue ao São Paulo por ser considerado o primeiro pentacampeão brasileiro. O time paulista recebeu o troféu após conquistar o Campeonato Brasileiro em 2007, e o Fla busca o reconhecimento para tentar ficar com a taça.
O título do Brasileiro de 1987 causa polêmica até os dias de hoje. Naquele ano, o torneio foi disputado em formato diferente, sem divisões por séries, mas em dois módulos. O Flamengo foi campeão no módulo que contava com os principais clubes do país, enquanto o Sport venceu o outro módulo. A CBF queria que os campeões dos dois módulos se enfrentassem em uma final, mas o clube carioca se recusou alegando que a regra foi imposta com o torneio já em andamento.