Rio - Após perder o jogo de ida por 1 a 0 no Maracanã, o Flamengo empatou com o São Paulo por 1 a 1, neste domingo (24), no Morumbi, e não conseguiu evitar o vice na Copa do Brasil. Apesar da derrota no placar agregado da decisão, o técnico Jorge Sampaoli fez questão de enaltecer os jogadores e lamentou que o pentacampeonato da competição tenha escapado neste ano.
"O jogo foi favorável ao Flamengo. Nos quatro tempos (da final), foram três para o Flamengo. Nesta Copa, o Flamengo foi melhor que todos os rivais. Mas isso é futebol. O São Paulo fez um gol no final do primeiro tempo, onde não havia tentado nada. No segundo tempo, o time foi buscar, mas o jogo foi muito picotado pelo árbitro. Para mim, o time foi melhor que o são Paulo", disse.
O Flamengo terá pela frente apenas o Campeonato Brasileiro no calendário. Em sétimo lugar, o Rubro-Negro estaria, hoje, fora da Libertadores de 2024 . Além da pior campanha no Brasileirão nos últimos anos, o técnico Jorge Sampaoli acumula a eliminação nas oitavas de final da Libertadores e o vice na Copa do Brasil. O treinador, no entanto, não se vê pressionado no cargo.
"Não penso nisso (pedir demissão). Essa avaliação tem que ser do presidente (Rodolfo Landim). Sei que cheguei em um clube em crise, que tinha perdido quatro finais. Tentamos trocar a realidade nesses cinco meses. Sem dúvida não aconteceu o que queríamos, mas, nesses cinco meses, dediquei 24 horas por dia para mudar. O Flamengo perdeu a Copa do Brasil injustamente", destacou.
"Esta Copa teve muita ilusão porque, para mim, o time foi o melhor. Mas tanto no Brasileiro como na Libertadores, o time não teve o mesmo rendimento. Agora, teremos que lutar por uma vaga na Libertadores. Lutar para chegar o mais alto possível no Brasileiro porque é o que temos. Mas eu acho que, seguramente, o time terá que ter muita regularidade para conseguir isso", completou.
Após o vice da Copa do Brasil, o Flamengo tenta virar a página e seguir em frente. O próximo compromisso do Rubro-Negro será diante do Bahia, no próximo sábado (30), às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Será o reencontro com a torcida, que protestou contra a diretoria e jogadores nos dois jogos da final.