No dia 14 de julho, quando chegou à Espanha depois do Real Madrid pagar 45 milhões de euros e ser até mesmo recepcionado por torcedores no aeroporto, ninguém imaginava que, dois meses depois, Vinícius Jr. estaria atuando no time B. Porém, apesar de ser uma estrela em franca evolução, o menino de 18 anos chegou no clube mais vencedor do mundo e, até por isso, os métodos são diferentes.

Jogadores como Casemiro e outros que chegaram a Madri bem jovens, tiveram experiências semelhantes antes de se tornarem alguns dos atletas mais cobiçados e vitoriosos do futebol. Para isso, o ex-atacante do Flamengo tem ao seu lado alguém que sabe bem como funciona esse processo, Santiago Solari, ex-meia do Real entre 2000 e 2005 e que, com 41 anos, atualmente é o treinador do time Castilla.

"Acredito que o Solari tem um futuro bastante promissor como treinador. Ajuda muito ele ter sido atleta e esse tempo na base do clube é fundamental. Dentro de campo, além de ter muita qualidade técnica, ele tinha personalidade e se comunicava bastante com os companheiros", revela Sávio, que atuou ao lado do argentino em uma época bastante vitoriosa da equipe, quando os dois foram campeões juntos da Champions League.

"Minha maior lembrança dele dos tempos em que jogamos juntos foi um gol que ele fez contra o Sparta Praga, com assistência minha. Foi especial porque eu tinha ficado quase três meses fora por causa de uma lesão. Aí depois que saiu o gol, fui abraçado pelos meus companheiros e fui aplaudido no Bernabéu", relembra o ex-jogador, que considera que a experiência de Solari, que chegou ao Real depois de alguns anos no Atlético de Madrid e que antes teve carreira de sucesso no River Plate, sendo campeão da Libertadores em 1996, será excelente para alavancar a carreira de Vinícius.

"Acredito que ele esteja em boas mãos. É um treinador jovem, que, por ser argentino, também passou por uma adaptação quando foi jogar na Europa. Então ele saberá conduzir esse tipo de situação", opinou. "Treinar o Real é sempre uma pressão muito grande. Tem que ganhar sempre, e o fato dele ter sido atleta e conhecer a casa, pode ajudar muito na adaptação. É o mesmo caso de Vicente del Bosque, Zidane e eu espero que o Lopetegui", diz Sávio, que lembra que é bastante comum que os ex-jogadores de sucesso no Real comecem sua carreira como técnico em equipes de base. Xabi Alonso, por exemplo, assumiu recentemente o time sub-13 do gigante espanhol.

Após os cinco anos no time branco, Solari perdeu um pouco de espaço e se transferiu para a Inter de Milão, onde voltou a colecionar títulos, antes de voltar para a Argentina para defender o San Lorenzo. Nos últimos anos de carreira, ele ainda passou pelo Atlante, do México e pelo Peñarol, do Uruguai, antes de pendurar as chuteiras.

Com uma carreira extremamente vitoriosa por clubes, o argentino teve uma passagem muito discreta pela seleção de seu país: foram apenas 12 jogos e três gols marcados.

Em 2013, Solari começou a trabalhar como treinador da equipe sub-17 do Real Madrid e passou pelo time Sub-19 B e Sub 19 antes de assumir o Real Madrid Castilla, em 2016.

APOIO DO 'CHEFE'

E se Vinícius Jr., autor de dois gols logo em sua segunda partida no time Castilla, continuar com bom desempenho, é bem provável que sua trajetória na equipe inferior dure bem pouco. Quem garante isso é o próprio Solari.

"Ajudaremos Vinícius a mostrar seu potencial o mais rápido possível. Ele é um menino e precisa de tempo. Nós sabemos o quanto ele é talentoso e é por isso que está aqui", disse o treinador ao jornal Marca, explicando a importância do jogador passar por esse período no time B do Real Madrid.

"Ele tem 18 anos e está se adaptando a um novo país, uma nova cultura de futebol, uma nova linguagem e não é sobre o que ele pode dar ao Castilla, é sobre o que o clube e a instituição podem dar a ele para que ele possa melhorar e nos dar uma grande alegria no futuro", finalizou, mostrando os planos do Real Madrid em tornar Vinícius uma estrela do futebol mundial.