O Flamengo tem o sonho de construir o seu estádio próprio e, até o momento, a opção mais viável para o Rubro-Negro é em um terreno pertencente à Caixa Econômica Federal, na região do Gasômetro, na zona portuária do Rio. Entretanto, o novo presidente da instituição, Carlos Antônio Vieira Fernandes, disse que as conversas estão nos estágios iniciais, pois, segundo ele, o clube não tem um projeto e um modelo jurídico para viablizar a negociação.
"Nós tivemos uma conversa, que ainda não está totalmente definida, porque o clube tem a ideia do aproveitamento de um bem patrimonial que pertence a um fundo de investimento da Caixa, na área do gasoduto, mas ainda é uma coisa muito incipiente. Queremos ajudar nisso, mas ainda não existe projeto, tampouco uma solução jurídica quanto ao formato de negócio. Só que, neste momento, não tem modelo; é só uma proposta", afirmou Carlos, ao blog "Futebol Etc".
O mandatário da Caixa Econômica Federal também comentou sobre a necessidade do Flamengo se tornar uma SAF para poder concluir a negociação, algo que o presidente rubro-negro, Rodolfo Landim, entende ser algo seguro para a construção do estádio sem nenhum endividamento para o clube.
"Seria prematuro, também, afirmar que o clube seria obrigado a se transformar em SAF", encerrou o presidente da Caixa.