O maior prejuízo do futebol brasileiro de 2015 não é o do Corinthians, o recordista entre os principais clubes do país com déficit de R$ 97 milhões. O feito nada animador pertence à Portuguesa, que encerrou o ano com perdas de inacreditáveis R$ 125,2 milhões.

Situação que segundo a empresa que auditou o balanço do clube coloca em xeque a continuidade da tradicional equipe, hoje na segunda divisão paulista e terceira brasileira.

Ao relatar um capital de giro negativo de R$ 227 milhões, o auditor aponta que é necessário o aporte de recursos, e "essas condições indicam a existência de incerteza significativa que pode levantar dúvida relevante quanto à capacidade de continuidade operacional da entidade".

Os números do balanço da Portuguesa mostram o quanto o clube, que acaba de eleger um novo presidente, José Luiz Almeida, foi administrado de forma irresponsável nos últimos anos.

As receitas não param de diminuir. Em 2015, o clube arrecadou R$ 13,5 milhões, contra R$ 16,7 mihões do ano anterior. Mesmo assim as despesas com o futebol dispararam.

No ano passado, o clube gastou R$ 24,2 milhões com futebol profissional e da base, um crescimento superior a 60% quando comparado com os R$ 14,6 milhões gastos em 2014.

Mas o grosso do prejuízo gigante da Lusa teve como origem o reconhecimento de novas dívidas. O clube precisou lançar R$ 82,8 milhões de provisão para contingências. Isso signfica dar como certo perdas em processos civeis, trabalhistas, fiscais e sociais.

O balanço ainda mostra o como não pagamento de acordos judiciais faz a dívida da Portuguesa disparar. Em 2014, o clube, por exemplo, devia R$ 21 milhões para a advogada Gislaine Nunes. Como ficou inadimplente naquele ano, o valor do débito, com juros, subiu para R$ 37,4 milhões.