Enquanto o Flamengo inicia nesta terça-feira (2) a sua oitava Libertadores seguida, Tite volta à competição que conquistou em 2012, após oito anos de ausência . O confronto contra o Millonarios, às 19h (de Brasília), na Colômbia, será o primeiro passo para o principal objetivo da temporada e também para que o técnico possa manter a invencibilidade em estreias de Libertadores.
A última vez de Tite na Libertadores foi em 2016, justamente o último ano em que o Flamengo ficou fora. Depois de ser eliminado pela terceira vez seguida nas oitavas de final com o Corinthians, o treinador acabou assumindo a seleção brasileira, onde ficou até o fim de 2022.
Em sua reestreia, Tite buscará o título que só conseguiu uma vez em oito participações. Mas chega como o maior favorito, algo que nunca vivenciou antes. Por isso, uma boa estreia é vista como importante não apenas para começar bem, como também evitar pressão desnecessária neste início de Grupo 5, que tem também Palestino, do Chile, e Bolívar, da Bolívia.
E o treinador sabe o que é estrear bem, já que está invicto, com cinco vitórias e três empates . Quatro desses jogos foram fora de casa, com o desempenho diminuindo um pouco: duas vitórias e dois empates, um deles na altitude, como será com o Flamengo nesta terça.
Foi em 2013, quando o então campeão Corinthians foi a Oruro, a 3.735 m acima do nível do mar, e empatou sem gols com o San Jose. O desafio agora será menos complicado, já que Bogotá está a 2.625 m, mas mesmo assim exigirá muito da parte física e tática do Flamengo.

As estreias de Tite na Libertadores

A primeira vez do treinador foi em 2002, com um 4 a 2 do Grêmio sobre o Oriente Petrolero , na Bolívia, numa campanha que chegaria à semifinal. Na edição seguinte, ele seguiu no clube gaúcho, e venceu a primeira partida, em casa, por 3 a 2 sobre o Pumas, do México, mas caiu nas quartas.
Em 2004, Tite estava no São Caetano no início do ano e venceu The Strongest por 4 a 2 na estreia e também último jogo dele na competição pelos sete anos seguintes. Isso porque ele deixou o clube e só voltou a disputar a Libertadores em 2011 , quando o Corinthians empatou em casa por 0 a 0 com o Tolima, resultado que ajudaria na eliminação na pré-Libertadores.
Mantido no cargo mesmo depois da primeira eliminação brasileira na fase preliminar, ele daria a volta por cima em 2012, conquistando o título sobre o Boca Juniors , numa campanha que começou com empate em 1 a 1 com o Deportivo Táchira, na Venezuela.
Depois da estreia em 2013 na altitude de Oruro, o Corinthians começou 2015 com uma goleada por 4 a 0 em casa sobre o Once Caldas , da Colômbia, a única de Tite em estreias. O time disputou de novo a pré-Libertadores e avançou para os grupos, caindo nas oitavas. E no ano seguinte, nova vitória do time treinado pelo gaúcho, desta vez no Chile, sobre o Cobresal: 1 a 0, sendo eliminado mais uma vez no primeiro mata-mata.


Retrospecto do técnico na competição

Ao todo, são 65 jogos na Libertadores, com 35 vitórias 17 empates e 13 derrotas, com um aproveitamento de 62,5% . Os times do técnico marcaram 107 gols e 50 sofreram apenas.
2002 - Grêmio - até a semifinal
2003 - Grêmio - até as quartas de final
2004 - São Caetano - saiu do clube após o primeiro jogo
2011 - Corinthians - eliminado na Pré-Libertadores
2012 - Corinthians - campeão
2013 - Corinthians - até as oitavas de final
2015 - Corinthians - até as oitavas de final
2016 - Corinthians - até as oitavas de final