Paulo Sousa lamenta chances perdidas e reclama de pênalti não marcado em Gabigol em Ceará x Flamengo

Paulo Sousa deixou o Castelão aborrecido com o empate do Flamengo por 2 a 2 com o Ceará. Na visão do treinador, o time carioca poderia ter liquidado o confronto, já que esteve duas vezes na frente. O português lamentou chances perdidas e também o pênalti não marcado em Gabigol.

O lance em cima do centroavante ocorreu aos 41 minutos do segundo tempo. O Flamengo vencia por 2 a 1 e Gabigol caiu na área após disputa com Richardson. O árbitro mandou o jogo seguir e o VAR não interferiu. De acordo com a Central do Apito, o juiz Luiz Flávio de Oliveira errou .

Luiz Flávio de Oliveira, em Ceará x Flamengo, pelo Brasileirão 2022 — Foto: Divulgação: Alexandre Vidal/CRF
1 de 3 Luiz Flávio de Oliveira, em Ceará x Flamengo, pelo Brasileirão 2022 — Foto: Divulgação: Alexandre Vidal/CRF

Luiz Flávio de Oliveira, em Ceará x Flamengo, pelo Brasileirão 2022 — Foto: Divulgação: Alexandre Vidal/CRF

- Eu analiso mais a capacidade de jogo que tivemos no primeiro tempo. Poderíamos já no final do primeiro tempo ter resolvido o jogo. No início do segundo tempo também, tivemos dois lances para podermos fazer o 3 a 1. Com o Pablo e com o último passe do Bruno que poderia ter sido muito mais eficaz para finalizar.

- Eu não sou uma pessoa de fazer muita referência à arbitragem, só que são dois jogos claramente. No Botafogo podíamos fazer 1 a 0 (gol anulado de Gabigol) e termos um controle completamente diferente. E hoje um 3 a 1 numa fase do jogo para poder sentenciar esse jogo.

O F lamengo tem apenas seis pontos no Brasileiro, após seis rodadas, em 14º lugar (pode cair de posição dependendo dos demais resultados da rodada). Paulo Sousa também lamentou ter sido forçado a mexer três vezes na equipe neste sábado.

- Fomos obrigados a fazer três substituições que não queríamos. Bruno Henrique precisava sair, David no intervalo já tinha condições que não lhe permitiam dar o máximo e o próprio Isla, que próximo de mim me disse que estava com condições debilitadas - disse Paulo Sousa, que prosseguiu:

- Tínhamos definidos de refrescar o nosso meio para continuarmos a ter mais controle porque estávamos perdendo. Tínhamos iniciativa em transições, mas estávamos a perder o controle do jogo. Com mais bola, com mais posse e de poder chegar no campo adversário. Até para identificarmos o momento de acelerar e finalizar.

O time joga nesta terça-feira, às 21h30, contra a Universidad Católica, pela Libertadores, no Maracanã. Pelo Brasileiro, volta a jogar no sábado, às 16h30, contra o Goiás, no Maracanã.

Veja abaixo outras respostas do treinador:

Segundo tempo do Flamengo

- Não foi só uma vez (única finalização), poderíamos ter feito mais se o árbitro nos permitisse porque houve um pênalti claro. Há um último passe depois de uma saída de bola com mudança de velocidade com o último passe para o Bruno num movimento muito bem feito e não entrou bem para podermos finalizar. Tivemos uma bola na trave que poderíamos decidir o jogo.

- E as três substituições forçadas não nos permitiram refrescar espaços onde acreditávamos que era necessário para continuar a dominar e a criar oportunidades. Isso fez com o que os nossos adversários nos empurrassem.

- Tivemos também muito debilitado fisicamente o Arrascaeta, com muita dificuldade para pegar no jogo. E tudo isso foi contribuindo para que o nosso bloco fosse mais baixo e déssemos a iniciativa ao nosso adversário.

O que dizer ao torcedor?

- O torcedor já passou por vários momentos. Como já disse em uma coletiva, é um torcedor que tem muito amor por esse clube. E com certeza vai apoiar nessa dificuldade de resultados porque ele vai aparecer. Nós merecemos, temos vindo a trabalhar para isso. Infelizmente os momentos não têm sido benéficos, mas nós vamos continuar a focar no que acreditamos. E com certeza isso vai virar.

2 de 3

O podcast ge Flamengo está disponível nas seguintes plataformas:

Assista: tudo sobre o Flamengo no ge, na Globo e no sportv

3 de 3

Fonte: Globo Esporte
)