Palhinha era o mais caro da história de time espanhol e quis de todo jeito ir pro Flamengo

A vontade de vestir o manto Rubro-Negro tirou Pallhinha da Europa. Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br , o ex-meio-campo, tricampeão da Libertadores e bicampeão mundial, lembrou de quando largou o futebol espanhol, onde chegou como reforço mais caro da história do Mallorca, para retornar ao Brasil e fazer parte de um verdadeiro esquadrão de craques comandado por Paulo Autuori, hoje no Atlético-PR, e que contava com ninguém menos que Romário, Athirson, Clemer e Zé Roberto.

Campeão da Libertadores com o Cruzeiro em 1997, Palhinha já havia sido negociado com o Mallorca em julho daquele ano, antes mesmo do fim da competição. Na época, prestes a completar 30 anos, o jogador recebeu proposta de 1,5 milhão de euros dos espanhóis, cerca de R$ 5 milhões, e rumou para aquele, que seria a sua primeira experiência europeia.

Apesar de todo o peso depositado em sua contratatação, o ex-jogador lembra que não enfrentou tanta pressão da torcida, como de costume no futebol brasileiro.

“Não tive pressão alguma. O engraçado é que é tudo muito igual, só mudam os times e as situações. Na Europa, se você ganha ou perde o jogo, te aplaudem. No Brasil que é mais complicado, se você perde, querem te atropelar. Então foi normal", lembrou Palhinha.

Leia também:

São Paulo ou Cruzeiro? Palhinha diz qual dos dois campeões da Libertadores foi melhor

Jogador da Chape desaba em lágrimas ao homenagear irmão vítima da tragédia

Fim da novela! Flamengo renova com Leandro Damião até o fim de 2017

O Mallorca, por sua vez, acabou não sendo sua casa por muito tempo. O clube espanhol que hoje figura na Liga Adelante - segunda divisão espanhola - e ainda sequer foi campeão nacional, viu Palhinha dizer adeus poucos meses após a sua chegada. Em 1998, o jogador recebeu proposta do Flamengo, que já havia tentado contratá-lo três anos antes, e logo arrumou as malas para retornar ao Brasil, já que tinha sempre teve o desejo de um dia vestir a camisa do clube. Naquele período, o Flamengo montava um time repleto de estrelas, trazendo outras peças de renome como Zé Roberto, que veio do Real Madrid e Romário, que inclusive foi que o mais incentivou a se juntar ao 'esquadrão' da Gávea.

"Eu fiquei pouco tempo no Mallorca porque eu tive a oportunidade de voltar ao Brasil , para o Flamengo, eu queria jogador no clube, sempre tive o sonho de jogar lá, conversei muito com o Romário antes, e resolvi voltar. Abri mão do meu contrato, porque ainda tinha três anos de vínculo com o Mallorca", afirmou o ex-meia-atacante.

A fórmula que era para ser de sucesso, porém, não deu muito certo. Na antigo formato do Brasileirão, o Flamengo ficou apenas em 11° na primeira fase, e sequer avançou para o mata-mata. Naquele ano 'desastroso' para o Flamengo, a melhor campanha acabou sendo uma eliminação nas oitavas-de-final da Copa do Brasil. Palhinha aponta o 'vestiário pesado' como motivo para o fracasso daquele time de estrelas.

"No Flamengo, nada foi como eu esperava. Tínhamos o Zé Roberto, Romário, Rodrigo Fabri, Cleyson, Clemer, Athirson, Junior Baiano, Caio, Paulo Autuori era o treinador, tinha um time muito forte de papel, mas acabou que dentro de campo as coisas não fluíram, como às vezes acontece, não dá liga", completou.

Fonte: FoxSport
)