Na última quinta-feira, a Premier League divulgou o quanto cada time que disputou a temporada 2017/18 recebeu em direitos de transmissão . Na tabela, chama a atenção o fato da divisão ser muito mais igualitária que em outros países, especialmente no Brasil.

Na Inglaterra, por exemplo, o rebaixado West Bromwich , que foi a equipe que menos ganhou grana da TV, faturou 94.666.492 libras (R$ 473,94 milhões).

Já o Manchester United , que foi o campeão do quesito, levou 149.767.145 libras (R$ 749,8 milhões).

Ou seja: a equipe que menos recebeu dinheiro da televisão ainda assim ganhou 63% de quem mais faturou.

Entre os grandes, o Chelsea foi a equipe que ganhou a menor cota: 141.713.582 libras (R$ 709,48 milhões).

Ainda assim, é bastante dinheiro, já que corresponde a quase 95% do que o Manchester United recebeu.

No Brasil, por sua vez, o cenário é bastante diferente.

Segundo dados compilados pelo consultor Amir Somoggi, o campeão dos direitos de TV em 2017 no cenário nacional foi o Flamengo , com R$ 199 milhões.

Cruzeiro , com R$ 177 milhões, e Atlético-MG , com R$ 172 milhões, completaram o pódio.

Na outra ponta do ranking , a Chapecoense foi a última colocada, faturando só R$ 38 milhões com televisão no ano passado. Ou seja, meros 19% do que o Fla levou.

Até mesmo entre os times grandes o buraco atual é grande.

O Fluminense , por exemplo, recebeu R$ 95 milhões, ou 48% do rival rubro-negro.

No Vasco , a situação é quase idêntica: os R$ 97 milhões faturados com TV correspondem a 49% do Fla.

Logo: Flu e Vasco ganham menos da metade do que o Flamengo fatura com direitos de transmissão.

"No Brasil, a diferença entre o que mais recebe e o que menos recebe é de 5,3 vezes. É uma das maiores diferenças do esporte mundial", destaca o estudo de Somoggi.