Rio - A caminho do último ano de mandato no Flamengo, o presidente Rodolfo Landim já se movimenta para implementar o projeto de SAF (Sociedade Anônima do Futebol). O mandatário rubro-negro deseja adotar o modelo do Bayern de Munique, da Alemanha, com o objetivo de construir o estádio próprio, de acordo com informações do "ge".
Em reunião com o grupo político União Rubro-Negra na última segunda-feira (4), Rodolfo Landim voltou a defender que o caminho ideal para a construção de um estádio sem endividamento é a implementação de uma SAF nos moldes adotados pelo Bayern de Munique, da Alemanha. Em junho, o presidente se reuniu com o clube alemão para entender como funciona o modelo.
Entre gastos com terreno e construção, Rodolfo Landim acredita que o Flamengo precisará de R$ 2 bilhões para construir o próprio estádio. O presidente acredita que a operação sem recursos obtidos através de uma SAF poderia endividar o clube. Além disso, ele teme por uma gestão irresponsável no futuro que acabe com a "prosperidade financeira".
Rodolfo Landim descarta a ideia de uma sociedade com empresas do ramo imobiliário, como o Palmeiras fez com a Allianz. O modelo foi sugerido por associados contrários a SAF. O presidente do Flamengo acredita que essa parceria geraria "conflitos de interesses e disputa constante pela maior fatia", como aconteceu com o clube paulista e a WTorre, responsável pela administração da arena.