Jogo com Racing vira decisão financeira e pode frear compras do Fla em 2021

A ser disputada na próxima terça-feira, diante do Racing, a vaga nas quartas-de-final da Libertadores deve ter impacto direto no investimento do futebol do Flamengo para a próxima temporada. É uma avaliação da diretoria do clube. Explica-se: o clube já perdeu algumas receitas previstas para 2020 e precisa manter pelo menos parte das metas do ano.

O orçamento original do Flamengo, obviamente, não foi cumprido com a pandemia de coronavírus . Houve uma perda de receita estimada de R$ 200 milhões com bilheteria, sócio-torcedor e diretos de televisão, que foram deslocados para 2021. Mas o clube já tinha feito uma readequação dos valores e traçou uma situação estável para a temporada mesmo diante da crise.

A questão é que, no novo plano, algumas receitas já foram afetadas. O Flamengo previa chegar às semifinais da Copa do Brasil, isto é, deixou de ganhar R$ 7 milhões previstos após a eliminação para o São Paulo. Além disso, o clube ainda tinha uma estimativa de volta de público neste ano, ou seja, acreditava que entrariam mais R$ 9 milhões no caixa até o final do ano. Não será cumprido.

Neste cenário, o clube precisa manter a meta de premiação da Libertadores que é chegar até a semifinal. Se for até esta etapa, o Flamengo acumularia outros US$ 3,5 milhões (R$ 18,7 milhões) em receitas com premiação. Esse valor está previsto no orçamento e seria o tamanho do buraco no caso de queda diante do Racing. Ressalte-se que uma parte só entraria em 2021 quando for jogada a semifinal.

Em seu documento original, o Flamengo previu um crescimento na receita de televisão e premiação em competições em relação a 2020, quando foi campeão da Libertadores. O número certamente foi revisto porque boa parte das receitas da Globo referentes ao Brasileiro ficaram para o próximo ano. Inclui-se aí o pagamento por posição na tabela que só sai depois do campeonato.

Mas isso não significa que será um ano folgado em 2021. O Flamengo também jogou boa parte dos pagamentos a serem feitos por contratações para a próxima temporada.

Neste contexto, é importante não gerar novas perdas de receitas até porque o clube tem a intenção de fazer pelo menos uma contratação grande com o centroavante Pedro. O valor é acima de 10 milhões de euros e até agora a Fiorentina não sinalizou aceitar um pagamento parcelado. Há ainda negociação de renovação em curso com o goleiro Diego Alves.

Ressalte-se que a avaliação no clube é que, no pior cenário de todos, não há preocupação com estado de contas do clube. Mas, sim, o Flamengo deve ser obrigado a desacelerar em caso de um mau resultado depois de duas temporadas de contratações altas. E até vendas de atletas poderiam entrar na pauta, o que não ocorre atualmente.

Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Fonte: Uol
)