Rio - O impasse pelo valor do terreno do Gasômetro segue adiando os planos do Flamengo em construir o seu estádio próprio. Segundo o "ge", o Rubro-Negro desejava resolver a pendência até o fim de maio, mas ainda não chegou a um denominador comum com a Caixa Econômica Federal, dona da área.
Em reunião no último dia 27 com conselheiros e dirigentes do Flamengo, o prefeito Eduardo Paes estipulou que a Caixa Econômica Federal definiria um valor para o local dentro de três dias. Mas não houve definição. O prefeito ameaçou desapropriar o terreno do Gasômetro caso as partes não cheguem a um acordo.
O Flamengo mantém conversas diárias para resolver a situação. O presidente Rodolfo Landim, que está na Europa resolvendo questões administrativas, e Marcos Bodin, executivo contratado pelo clube exclusivamente para tratar do estádio, são os responsáveis pelas conversas.