622 d40f15b4 351b 355b b288 381fd548e496
Rosario x Grêmio, Atlético x Racing, Toluca x São Paulo e mais; veja palpites

Nesta quarta-feira, três times brasileiros entram em campo para tentar garantir vaga nas quartas de final da Libertadores. As situações não estão muito complicadas para São Paulo, Corinthians e Atlético-MG, mas, se você for supersticioso, pode começar a se preocupar...

Afinal, nesta quarta é o aniversário de cinco anos da Noche Negra de 2011, quando quatro clubes nacionais caíram na competição da Conmebol em uma mesma noite.

Naquele 4 de maio, Fluminense (então campeão brasileiro), Cruzeiro, Internacional e Grêmio foram eliminados quase que simultaneamente na Libertadores, apesar do amplo favoritismo contra Libertad-PAR, Once Caldas-COL, Peñarol-URU e Universidad Catolica-CHI, respectivamente.

O único brasileiro que acabou restando vivo foi o Santos, que, por sorte (ou será destino?) acabou entrando em campo no dia seguinte para passar pelo América-MEX. Depois, o "Peixe" ainda bateu Once Caldas, Cerro Porteño-PAR e Peñarol para faturar o título.

Para evitarem uma nova Noche Negra, os times brasileiros de 2016 não têm missões complicadas. O São Paulo, por exemplo, venceu a ida contra o Toluca-MEX, no Morumbi, por 4 a 0, e pode perder por até três gols de diferença no México que ainda assim avança. O jogo está marcado para 19h15 (horário de Brasília).

622 c337c9da e814 33c8 9e54 852d95ecfa4e
São Paulo foi fazer turismo em Acapulco? Bate-Bola debate

Já Corinthians e Atlético-MG empataram por 0 a 0 contra Nacional-URU e Racing-ARG nos primeiros duelos, fora de casa. Agora, em Itaquera e no Horto, qualquer vitória serve para ir às quartas. Empates com gols, porém, dão vantagem aos gringos.

As duas partidas serão às 21h45 (horário de Brasília).

Relembre o que ocorreu em 4 de maio de 2011:

Internacional 1 x 2 Peñarol

O time gaúcho havia empatado a ida contra os carbonerospor 1 a 1 no Uruguai, contando com um gol de Leandro Damião. No Beira-Rio, parecia que a missão seria fácil depois que Oscar abriu o placar para os anfitriões logo no primeiro minuto de jogo.

Ledo engano...

Com muita raça, o Peñarol virou com gols quase em sequência de Martinuccio (grande sensação daquele torneio) e Olivera, calando o Beira-Rio lotado e deixando o técnico Paulo Roberto Falcão com uma expressão de incredulidade à beira do gramado.

Cruzeiro 0 x 2 Once Caldas

A missão celeste não era nada difícil. Depois de ganhar na Colômbia por 2 a 1, com gols de Wallyson e Ortigoza, bastava segurar um empate na Arena do Jacaré para avançar. Até mesmo uma derrota por 1 a 0 servia aos comandados de Cuca naquela noite.

No entanto, o Once Caldas fez o jogo de sua vida e, aproveitando uma noite infeliz dos cruzeirenses, ganhou por 2 a 0, com tentos de Amaya e Moreno no 2º tempo. Cuca não foi demitido, mas durou só até junho, quando deu lugar a Joel Santana.

Libertad 3 x 0 Fluminense

Então campeão brasileiro, o forte time das Laranjeiras abriu vantagem confortável na ida contra os paraguaios, ganhando por 3 a 1 no Engenhão, com gols de Rafael Moura, Marquinho e Conca. Parecia tudo definido para conquistar a vaga nas quartas.

Só esqueceram de avisar o Libertad, que, na volta, fez ótima partida em Assunção e ganhou por 3 a 0, com o último tento, marcado por Núñez, saindo com requintes de crueldade, aos 45 minutos do segundo tempo. Decepção para os cariocas.

Universidad Catolica 1 x 0 Grêmio

A equipe de Porto Alegre foi quem chegou em pior condição naquela Noche Negra, já que havia perdido por 2 a 1 em casa na partida de ida - os dois gols do time chileno foram marcados pelo atacante Lucas Pratto, hoje no Atlético-MG.

Em Santiago, a Universidad Catolica controlou o ímpeto do Grêmio e levou o jogo em banho-maria até os 40 minutos da segunda etapa, quando Mirosevic marcou o único tento da partida e sepultou de vez qualquer esperança dos brasileiros.