Bogotá - Não foi como o esperado a estreia do Flamengo na fase de grupos da Conmebol Libertadores. Nesta terça-feira (2), no Estádio El Campín, na altitude de 2.600m de Bogotá, na Colômbia, os comandados de Tite foram mal, chegaram a abrir o placar na segunda etapa com pênalti cobrado por Pedro, mas não seguraram o resultado e empataram em 1 a 1 com o Millonarios, que chegou a ter um jogador expulso no lance que originou o primeiro tento do duelo.
O Rubro-Negro volta a campo no domingo (7) para o jogo de volta pela final do Campeonato Carioca, contra o Nova Iguaçu, carregando o placar de 3 a 0 da ida e o título encaminhado. Pela competição continental, o próximo adversário será o Palestino, do Chile, na quarta-feira (10), no Maracanã.
O jogo
Em campo, o Flamengo foi armado no início com uma pequena diferença tática devido ao quadro viral apresentado pelo meia uruguaio De La Cruz, que foi retirado da partida. Em seu lugar, Tite optou pela entrada do jovem Igor Jesus, que formou dupla de volante com Pulgar - assim, Arrascaeta ficou mais solto para flutuar na zona central.

A estratégia adotada nos primeiros minutos foi de um jogo focado na transição rápida em contra-ataques, buscando os lados de campo com Everton Cebolinha e Bruno Henrique. Quando a marcação do Millonarios encaixou, Pedro ficou isolado brigando sozinho contra a defesa adversária. A partida ficou truncada no meio-campo e os donos da casa mostraram superioridade na fase construtiva.

Em uma primeira etapa marcada pro muitos problemas, o Rubro-Negro sofreu principalmente em seu lado esquerdo de defesa, com Viña, que pouco conseguiu parar as investidas de Cataño, principal nome do time colombiano, e Delvin Alfonzo. Em uma das muitas jogadas de perigo, o atacante Leonardo Castro, artilheiro da temporada do Millonarios com cinco gols até então, acertou a trave esquerda de Rossi.

Já no segundo tempo, Tite optou por retornar ao gramado com alteração no meio-campo: saiu Igor Jesus e entrou Allan. O Flamengo conseguiu se encontrar em campo, passou a explorar as bolas mais longas e conseguiu aproveitar o erro do Millonarios.

Aos 18 minutos, Pulgar foi à frente e tentou finalização de longe, ficou com a sobra e viu espaço para acionar Arrascaeta. O meia uruguaio invadiu a área, armou a finalização, mas foi derrubado por Larry Vásquez. Pênalti marcado e o volante do Millonarios expulso. Pedro foi para a bola e cobrou com segurança, no meio do gol, para abrir o placar no El Campín.

O que era para ser um cenário mais calmo, se complicou na reta final. O Flamengo acumulou erros de defesa, não valorizou a posse de bola mesmo em vantagem numérica e sofrue o empate. Pulgar errou na saída de bola e foi driblado facilmente por Rivaldo, que acabara de entrar na partida, pelo lado esquerdo. O atacante cruzou para o meio da área e Daniel Ruiz completou para deixar tudo igual. Foi o primeiro gol sofrido pelo time principal do Rubro-Negro em 2024.

Na reta final, o Millonarios, mesmo com um a menos, pressionou para tentar virar o jogo e assustou a defesa. O Flamengo, desorganizado, pouco conseguiu evoluir e confirmou o empate fora de casa em seu primeiro jogo pelo Grupo E da Libertadores.
Ficha técnica

Millonarios-COL 1 X 1 Flamengo

Local: Estádio El Campín, em Bogotá, na Colômbia
Data e hora: 2/4 (terça-feiraa), às 19h (de Brasília)
Arbitrgem: Darío Herrera
Assistentes: Ezequiel Brailovsky e Facundo Rodríguez

Gols: Daniel Ruiz 34'/2ºT (MIL) e Pedro 18'/2ºT (FLA)

Cartões amarelos: Leonardo Castro (MIL) e Luiz Araújo (FLA)
Cartão vermelho: Larry Vásquez (MIL)

MILLONARIOS: Álvaro Montero; Delvin Alfonzo, Alex Moreno, Vargas e Jhoan Hernández; Larry Vásquez, Giraldo, Cataño (Daniel Ruiz) e David Silva; Leonardo Castro e Santiago Giordana (Rivaldo). Técnico: Alberto Gamero.

FLAMENGO: Rossi; Varela (Evertton Araújo), Fabrício Bruno e David Luiz e Viña (Ayrton Lucas); Pulgar, Igor Jesus (Allan) e Arrascaeta; Bruno Henrique, Everton Cebolinha e Pedro (Luiz Araújo). Técnico: Tite.