Belo Horizonte - Após a vitória do Flamengo sobre o Atlético-MG por 4 a 2 , Tite explicou que Pedro iniciou a partida no banco de reservas porque sentiu a perna na última terça-feira, 2, e corria o risco de "estourar" caso fosse titular. O centroavante entrou somente na etapa complementar e deu a assistência para o quarto gol do Rubro-Negro no jogo.
"Ninguém poupou o Pedro. O Pedro sentiu a perna ontem à tarde. Ele correu o risco de não vir, ele se predispôs a vir. Eu não sou maluco. Eu externei para o presidente, ele estava sentindo. Era um risco temerário de iniciar com ele, ele iria estourar. Você tem que gerir. A gente procura ter esse bom senso em relação a tudo isso", afirmou Tite.
Como não poderia usar Pedro desde o início e Gabigol está afastado para não bater a marca de sete jogos e buscar outra equipe, a oportunidade surgiu para Carlinhos. O atacante aproveitou a chance e marcou o segundo gol do Fla na noite desta quarta-feira. Na entrevista coletiva, o auxiliar Cléber Xavier foi só elogios ao camisa 22.
"E eu vou aproveitar para valorizar o Carlinhos. O Carlinhos não joga um jogo inteiro desde o Campeonato Carioca. Teve uma lesão recentemente, recuperou e vem treinando muito bem. Então, mereceu a oportunidade, aproveitou e foi premiado com um gol. A gente fica muito feliz e todo o grupo ficou muito feliz por ele", destacou Cléber Xavier.

Arbitragem

O resultado positivo não atenuou as críticas do Flamengo com o VAR. Antes da coletiva de Tite, o gerente de futebol Luiz Carlos fez um pronunciamento para questionar a falta de critério do VAR .
De acordo com Luiz Carlos, no entendimento do clube, não houve pênalti de Allan em cima de Vargas, que culminou no gol do Hulk. O dirigente também ressaltou que, como a infração foi assinalada, o mesmo deveria ter acontecido em um lance em cima de Pulgar, já na reta final de partida. Tite fez coro ao discurso do gerente de futebol.
"O Rodrigo D'Alonso, que é o cara do VAR que dá o pênalti que o Allan toca na bola e na sequência (acerta o adversário) e não dá o pênalti em que o cara toca direto no pé do Pulgar, eu não consigo entender. Juro que não consigo. Qual é esse critério? Por que um sim e o outro não? Vou me permitir publicamente falar. Me dou o direito, quando reclamo na beira do campo, eu sou punido. Então, por favor, só usem o mesmo critério gente", disse Tite.