Rio - O Flamengo teve seu provimento de recurso para ser reconhecido como campeão brasileiro de 1987, ao lado do Sport, negado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (17). Sendo assim, o time pernambucano segue sendo considerado pela Justiça como único campeão daquele ano.
O STF formou maioria na Segunda Turma, que teve como relator no processo o ministro Dias Toffoli. Ele manteve a decisão que proferiu em dezembro do ano passado , negando o pedido do Flamengo, e foi acompanhado pelos ministros Edson Fachin e André Mendonça.
Os ministros Gilmar Mendes e Nunes Marques ainda não depositaram os votos, já que o julgamento se estende até às 23h59 desta sexta. Neste período, é possível que algum ministro solicite vista do processo , para ter mais tempo para tomar a decisão, ou até mesmo mudar seu voto.
No início de maio, o Ministério Público Federal (MPF) já havia deixado claro que era contra o recurso do Flamengo . No entendimento do órgão, para atender à solicitação do Rubro-Negro, seriam necessárias novas provas e evidências, o que não é permitido neste âmbito do recurso.
Com a decisão do STF, o Flamengo também segue sem a Taça das Bolinhas , que foi criada para ser entregue ao primeiro clube a conquistar cinco títulos brasileiros e está em posse do São Paulo. Caso fosse reconhecido como campeão de 87, o Flamengo teria direito ao troféu.
taça das bolinhas - reprodução
taça das bolinhas reprodução

Relembre a polêmica de 1987

Naquele ano, o torneio foi disputado em formato diferente, sem divisões por séries, mas em dois módulos. O Flamengo foi campeão no módulo que contava com os principais clubes do país , enquanto o Sport venceu o outro, com clubes que disputaram a segunda divisão no ano anterior.
Após uma mudança no regulamento, ficou definido que os campeões dos dois módulos se enfrentariam em uma final. Entretanto, o clube carioca se recusou a jogar, alegando que a regra foi imposta com o campeonato já em andamento.
Naquele ano, o Campeonato Brasileiro foi organizado pelo Clube dos 13 e não pela CBF.