Rio - O Flamengo voltou da Colômbia com sabor amargo após empatar em 1 a 1 com o Millionarios, no El Campín, na noite da última terça-feira (2) . Mesmo com um homem a mais durante a maior parte do segundo tempo, o time carioca não conseguiu segurar a vantagem e cedeu o empate aos colombianos.
O desempenho abaixo do esperado em Bogotá, sem dúvidas, passa pela noite ruim de Erick Pulgar. Um dos principais jogadores do time rubro-negro desde o ano passado, o chileno não teve boa atuação e ficou marcado por diversos erros de passe. O gol do Millionarios, inclusive, nasceu de um erro individual do camisa 5.
Segundo o "Sofascore", Pulgar conseguiu acertar 54 dos 66 passes que tentou ao longo da partida, ou seja, teve 82% de aproveitamento, que é considerado baixo para o quesito.
Mas o jogo ruim do chileno não foi o único problema do Flamengo no meio-campo. Sem De La Cruz, que foi ausência de última hora por conta de um quadro viral e febre, o setor ficou sem sua principal referência e sofreu para se encontrar em campo. Foi por ali que o time carioca teve mais dificuldade para desenvolver seu jogo.
Além disso, a parte física, como já era esperado, também pesou . Após a partida, o técnico Tite revelou que a equipe tinha nove atletas que não estavam nas melhores condições para entrar em campo.
O Flamengo volta a campo no domingo (7) para o jogo de volta pela final do Campeonato Carioca, contra o Nova Iguaçu, carregando o placar de 3 a 0 da ida e o título encaminhado. Pela competição continental, o próximo adversário será o Palestino, do Chile, na quarta-feira (10), no Maracanã.