Rodolfo Landim, presidente do Flamengo - Alexandre Vidal / Flamengo

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo Alexandre Vidal / Flamengo

Rio - Classificado para a final da Libertadores, o Flamengo tem boas chances de conquistar a competição sul-americana pela terceira vez. Porém, nem tudo são flores para o Rubro-Negro na edição de 2021 do torneio. Após a suspensão de Léo Pereira, que pegou dois jogos de punição e não vai poder disputar a decisão contra o Palmeiras, o clube carioca se isolou como o líder em penalizações da Conmebol no torneio.
Ao todo, o Flamengo recebeu penalizações que chegam ao valor de R$ 128 mil, um recorde absoluto entre as equipes nesta edição da Copa Libertadores. Foram expulsões, quebra de protocolo e até placas de publicidade danificadas. Foram quatro penalizações em 12 jogos disputados.

Confira as penalizações recebidas pelo clube carioca:

12/10 – US$ 4 mil (22,5 mil reais) – Expulsão de Léo Pereira contra o Barcelona
01/09 – US$ 12 mil (R$ 62 mil) – Jogo contra o Olimpia, por ter atrasado no duelo contra o Olimpia e atrasado o início do protocolo da entidade para a partida das quartas de final da Libertadores.
06/07 – US$ 5 mil (R$ 27,6 mil) – Matheuzinho contra a LDU – 19 de maio no Maracanã – equivalentes ao custo de reposição da barreira danificada.
23/06 – US$ 3 mil (R$ 16,59 mil) – Expulsão contra a LDU – 19 de maio no Maracanã, dois jogos de suspensão.