Diego está na pauta do Orlando City, mas a transferência pode depender também de uma nova contratação do Flamengo para o meio de campo. O jogador tem contrato com o clube rubro-negro só até o meio do ano e está distante neste momento de uma renovação. O problema é que os americanos o querem de graça agora - e o Fla pode não estar disposto a liberá-lo sem ganhar nada por isso. As informações são de Mauro Cezar Pereira.

A renovação de contrato está distante porque o valor oferecido pelo Flamengo é inferior ao que Diego já recebe hoje. Explica-se: quando assinou o contrato, em 2016, Diego teve o valor das luvas diluídos no decorrer do tempo. Essas luvas não existem na nova proposta flamenguista.

O pai de Diego é quem trata o assunto com o clube. Se a renovação não acontecer, deve haver um pedido de liberação.

O Flamengo não fala do assunto no momento até por estar negociando um novo contrato, mas não parece de interesse do Flamengo liberá-lo sem custos.

Tal liberação poderia estar diretamente ligada à chegada de um novo meia – Arrascaeta, por exemplo. Isso porque o dinheiro economizado com os salários de Diego poderiam servir justamente para pagar os vencimentos do novo atleta.

Existe sim o interesse do Orlando City. O clube gostaria de contar com o jogador, mas não fechou com o jogador. Até porque aguarda essa liberação sem custos.

Times americanos seguem a regulamentação da MLS que estipula um teto salarial. Cada elenco pode ter três jogadores acima desse, e Diego poderia ser dessa categoria. O Orlando teria que liberar um dos que já tem teto (os meio-campistas Sacha Kljestan e Josué Colmán e o atacante Dom Dwyer), mas isso não seria um problema.

“O Flamengo dificilmente vai liberar Diego, ainda mais sem custos, se não chegar alguém. Para Diego sair, alguém tem que chegar”, analisa Mauro Cezar Pereira.