Rio - A segunda fase do processo licitatório do Maracanã já ficou marcado por um embate entre Flamengo e Vasco. O vice-presidente geral e jurídico rubro-negro Rodrigo Dunshee apontou uma "ilegalidade" na proposta técnica vascaína e promete entrar com um recurso de impugnação, segundo o "ge".
O Consórcio Fla-Flu, na vistoria preliminar dos documentos do Consórcio Maracanã Para Todos, do Vasco e da WTorre, identificou jogos do Santos e do Brusque na documentação comprobatória de jogos da proposta rival. O mínimo previsto em edital são 25 datas (jogos) sendo 75% de competições da CBF. Flamengo e Fluminense prometem 70 jogos, o que permite pontuação máxima.
"A gente pode ver que o consórcio do Vasco, para completar o número de jogos, utilizou direitos de jogos de clubes de fora do Rio, no caso o Brusque e o Santos. Ainda vamos precisar examinar com calma. Mas todo princípio dessa licitação é para atender ao Estado do Rio, aos times do Rio. A gente entende que não vai passar isso, porque não é de boa fé. Então a gente entende que vai ser reprovado. Na hipótese que seria absurda (de não reprovar), a gente vai impugnar", disse Rodrigo Dunshee.
Os consórcios Fla-Flu, do Maracanã Para Todos, do Vasco e da WTorre, e da Arena 360, que é administradora do Mané Garrincha, de Brasília, entregaram nesta terça-feira (5) as propostas técnicas. Os envelopes foram entregues durante cerimônia no auditório da Casa Civil, no Palácio Guanabara. Esta é a segunda fase de três do processo de licitação. A Comissão Especial vai analisar a documentação técnica e as impugnações.