Rio - Filipe Luís anunciou na tarde desta quinta-feira (30) a decisão de pendurar as chuteiras e se aposentar do futebol. Em vídeo divulgado nas redes sociais do Flamengo, o lateral-esquerdo, de 38 anos, confirmou a ideia inicial de jogar até os 45, mas as condições físicas prejudicaram. Ele agradeceu o carinho do clube, escancarou amor pelo Rubro-Negro e indicou os próximos passos, provavelmente na Gávea.
"Foi uma decisão muito difícil. Quem me conhece, sabe. Sempre disse para amigos, para o meu entorno, que gostaria de jogar até os 45, mas infelizmente não é possível. Esse ano tive muitos problemas físicos, que me levaram a ter muita dificuldade em disputar a minha posição, uma vaga no time titular, e eu sempre prometi a mim mesmo que, quando não tivesse condições de jogar no mesmo nível e me sentir do jeito que sinto no campo, eu ia tomar a decisão de parar", disse Filipe Luís.
O jogador voltou ao Brasil para jogar no seu clube de coração e, em declarações no início da temporada, já havia indicado que este seria seu último desafio como profissional.
"O sentimento que fica é só um, de gratidão. Gratidão pela diretoria que apostou em mim, que veio lá em Madri me buscar, por cada torcedor que me apoiou no estádio, que cantou meu nome, por quem me escreveu no Instagram, por quem gritou meu nome na rua, por quem me criticou, por todas as pessoas que fizeram parte dessa caminhada. Muito obrigado, sentimento de gratidão. Foram os melhores anos da minha vida, sem nenhuma dúvida", destacou.
No próximo domingo (3/12), no Maracanã, Filipe Luís, assim como nas despedidas de Diego Alves e Diego Ribas, terá ao seu lado todos os troféus conquistados pelo Flamengo desde sua chegada, em 2019: Libertadores (2019 e 2022), Brasileirão (2019 e 2020), Copa do Brasil (2022), Supercopa (2020 e 2021), Recopa (2020) e Cariocas (2020 e 2021).
Filipe Luís deixará os gramados, mas não o mundo do futebol. Ele deve permanecer no Flamengo para iniciar sua nova trajetória. O lateral já possui a Licença B da CBF e dará início, em dezembro, aos cursos para conseguir a Licença A, ficando apto a dirigir equipes profissionais. Como jogador, pelo Rubro-Negro, foram 175 jogos, com 111 vitórias, 32 empates e 32 derrotas.
"Eu não gosto de viver do passado, gosto de pensar para frente. Portanto, quero fechar esse capítulo e começar uma nova história no futebol, onde vivi todas as emoções possíveis: alegria, tristeza, frustrações, me machuquei, fui campeão. Tudo que eu pude viver na minha vida, e a pessoa que me tornei hoje, é por causa desse esporte maravilhoso."