Rio - Titular do Flamengo na final da Libertadores de 2019, Willian Arão não conseguiu segurar sua ansiedade nas horas que antecederam a decisão contra o River Plate. Em entrevista ao "Charla Podcast", o volante, que atualmente defende o Panathinaikos-GRE, contou uma história cômica que viveu naquele dia ao lado de Renê, seu companheiro de quarto.
"Deu 7 da manhã, olhei para o lado, o Renê dormindo… Mas eu já estava me revirando há umas duas horas. Saí na ponta do pé. Fui no banheiro, dei a primeira barrigada, estava ansioso. Nesse dia, foram umas 15. Quando eu fico muito ansioso… Voltei na pontinha do pé, pensei em não acordar o Renê. Quando deito na cama, ele vira e diz: 'está acordado, né, amigão? Está todo cagado, né?'. Aí eu falei assim: 'pô, amigão. Eu também. Bora descer para o café da amanhã'", revelou o ex-camisa 5 rubro-negro.
Mesmo com os "problemas intestinais", Arão jogou a maior parte da final em Lima . O volante deixou o campo aos 86 minutos, quando o Flamengo ainda perdia por 1 a 0, para a entrada de Vitinho.
Willian Arão defendeu o Flamengo em sete temporadas e disputou 371 partidas. Foi negociado pelo clube com o Fenerbahçe-TUR, no início de 2023, onde foi dirigido novamente por Jorge Jesus durante uma temporada, antes de chegar ao Panathinaikos.