Rodrigo Dunshee
Rodrigo Dunshee Paulo Carneiro
Rio - A maior tragédia envolvendo o Flamengo completa 26 meses nesta quinta-feira. E, através das redes sociais, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do clube, trouxe o assunto à tona e externou que a Ernst & Young, empresa de auditoria, fez uma avaliação positiva dos valores oferecidos às famílias das vítimas no incêndio no Ninho do Urubu - foram dez fatais.

"Nota da E. Young no Balanço auditado do Fla: "O Flamengo ofereceu aos familiares um valor superior ao que a justiça brasileira costuma determinar em casos como este, e 24,5 famílias, dos 26 atingidos pela tragédia, já entraram em acordo, no que diz respeito a indenizações", postou Dunshee no Twitter, completando:

"Nem eu sabia o que a gigante mundial da auditoria havia comentado sobre os acordos e fiquei feliz de ver que, tecnicamente, acabou fazendo um reconhecimento do trabalho feito mesmo com pandemia, perdas enormes de receita, basta ver a folha 53 do balanço. Seguiremos até o fim".

Em janeiro deste ano, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo, e outras dez pessoas (incluindo dois funcionários atuais), que podem responder por crime de incêndio culposo (quando não há intenção), por conta dos dez jovens que morreram, e lesão corporal grave - pelos três que sobreviveram.
A maior tragédia envolvendo o Flamengo completa 26 meses nesta quinta-feira (8). E, através das redes sociais, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do clube, trouxe o assunto à tona e externou que a Ernst & Young, empresa de auditoria, fez uma avaliação positiva dos valores oferecidos às famílias das vítimas no incêndio no Ninho do Urubu - foram dez fatais.

- Nota da E. Young no Balanço auditado do Fla: "O Flamengo ofereceu aos familiares um valor superior ao que a justiça brasileira costuma determinar em casos como este, e 24,5 famílias, dos 26 atingidos pela tragédia, já entraram em acordo, no que diz respeito a indenizações" - postou Dunshee no Twitter, completando:

- Nem eu sabia o que a gigante mundial da auditoria havia comentado sobre os acordos e fiquei feliz de ver que, tecnicamente, acabou fazendo um reconhecimento do trabalho feito mesmo com pandemia, perdas enormes de receita, basta ver a folha 53 do balanço. Seguiremos até o fim.
— Rodrigo Dunshee de Abranches (@roddunshee) April 8, 2021
Em janeiro deste ano, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo, e outras dez pessoas (incluindo dois funcionários atuais), que podem responder por crime de incêndio culposo (quando não há intenção), por conta dos dez jovens que morreram, e lesão corporal grave - pelos três que sobreviveram.