Rio - Ídolo da história recente do Flamengo, Diego Ribas, que defendeu o clube de 2016 a 2022, saiu em defesa do atacante Pedro e condenou as vaias da torcida na partida contra o Boavista, na última terça-feira (20), na goleada por 4 a 0 válida pela 10ª rodada do Campeonato Carioca. O ex-jogador gravou vídeo sobre o tema.
"Uma situação muito desconfortável para ele e para o Gabi, dois garotos que eu adoro e respeito muito, mas no futebol nós queremos vencer a concorrência e não destruir o concorrente. Porque se fizermos isso estamos destruindo a nós mesmos", iniciou Diego.
O camisa nove do Rubro-Negro foi vaiado no momento em que foi substituído por Gabigol. Pouco tempo antes, o jogador havia perdido um pênalti e outras chances claras de gol quando o placar já estava 2 a 0 para a equipe comandada por Tite.
"Será que para elogiar um nós precisamos criticar o outro? Será que para enaltecer um nós precisamos difamar o outro? Para amar um temos que odiar o outro?", destacou o ex-jogador do Flamengo.

Confira a declaração completa:

"Você prefere Gabigol ou Pedro? Essa situação de ontem mais uma vez me fez refletir muito sobre que rumo nós estamos tomando como sociedade. Pedro é substituído, e mais uma vez parte da torcida o vaia. Uma situação muito desconfortável para ele e para o Gabi, dois garotos que eu adoro e respeito muito, mas no futebol nós queremos vencer a concorrência e não destruir o concorrente. Porque se fizermos isso estamos destruindo a nós mesmos. 'Ah, mas no futebol vale tudo, tem muita malandragem'. Sim, você pode escolher vencer a concorrência do jeito que você quiser, ferindo éticas e valores, mas aí você vence a concorrência e perde o respeito.
Esse é um preço muito alto para se pagar que na maioria das vezes os atletas não escolhem esse caminho. Mas a minha reflexão aqui é a seguinte: será que para elogiar um nós precisamos criticar o outro? Será que para enaltecer um nós precisamos difamar o outro? Para amar um temos que odiar o outro?
Eu não quero saber o time que você torce, a sua religião ou seu partido político. Eu quero te dizer o seguinte: que se pra justificar as suas escolhas, você precisa humilhar as pessoas, difamar as pessoas, então o que você tem não é convicção, é dúvida. O que você sente não é amor, é ódio, orgulho. E esse definitivamente não é o caminho para um mundo melhor. Então, independentemente, daquilo que você escolheu siga teu caminho, tome as suas decisões, mas sem machucar, ferir e desrespeitar. Só assim as coisas realmente farão sentido."