Rio - Gabigol vem passando por um momento conturbado com a torcida do Flamengo. Após polêmicas envolvendo sua festa de aniversário e seu desempenho em campo, os torcedores rubro-negros estão tecendo diversas críticas ao camisa 10. Ex- companheiro de Gabigol e antigo dono da histórica camisa rubro-negra, Diego Ribas, saiu em defesa do atacante, afirmando que, atualmente, os brasileiros não respeitam seus ídolos.
"Você vê o Gabi. Ganhou tudo que ganhou, e você vê a exposição que é constante. Xingando, ofendendo o cara que conquistou tudo que conquistou no Flamengo. Que pode cometer os erros dele, mas está sempre na linha de frente. Não vejo o Gabi ficando de ‘migué’. 'Ah, está mal tecnicamente!' Ok, mas corre, joga, bate, se posiciona, dá entrevistas, faz as coisas", iniciou Diego, em entrevista ao podcast "Denilson Show".
"Mas parte de torcida e imprensa, não todos, massacrando… Não respeitam os ídolos. Aí vai respeitar depois que parar. Afasta os jogadores", complementou.
Diego Ribas ainda comparou com a sua situação com o Werder Bremen, clube da Alemanha que defendeu entre 2006 e 2009 e é ídolo, com dois títulos. Para o ex-jogador, o respeito dos torcedores aos ídolos na Europa é algo muito mais presente do que no Brasil, e isso afasta os jogadores de atuarem em solo nacional.
"Muitas vezes se fala: ‘Cadê nossos ídolos? Faltam ídolos! Os clubes precisam segurar jogadores. Por que os jogadores não ficam no Brasil?’. Espera aí, cara. Você é o primeiro que acusa, que ofende, que expõe. Você acha que o ídolo não está vendo isso?", finalizou o ex-jogador.
Diego Ribas encerrou a carreira no ano passado, em jogo válido pela 38ª do Campeonato Brasileiro, entre Flamengo e Internacional. Ao todo, o meia disputou 285 jogos com a camisa do Rubro-Negro, marcou 42 gols e empilhou títulos: duas taças do Brasileirão, duas Libertadores, uma Copa do Brasil e os Campeonatos Cariocas de 2019, 2020 e 2021. Teve também a Recopa Sul-Americana de 2020, além das Supercopas do Brasil em 2020 e 2021.