De volta à briga, Sesc-Flamengo e Sesi-SP tentam se reafirmar como potências

Nem faz tanto tempo assim. Mas, ao se olhar para o histórico, os anos parecem se multiplicar. Depois de um período em baixa, Sesc- Flamengo e Sesi-SP estão de volta às semifinais da Superliga Feminina e Masculina, respectivamente. Antigos campeões e donos de dois dos melhores currículos das quadras nacionais, as equipes tentam fazer frente a favoritos em seus naipes para voltar a lutar pelo título.

O Sesc- Flamengo é o maior vencedor da história da Superliga Feminina. Sob outros nomes, mas sempre com um perfil campeão, soma 12 títulos da competição. Nas últimas temporadas, porém, não conseguiu repetir o sucesso. O último título foi em 2016/2017. Sua última final foi na edição posterior, quando caiu para o Praia Clube na decisão. Nos anos seguintes, perdeu para o Sesi-Bauru nas quartas e sequer avançou às semifinais – a temporada de 2019/2020 foi cancelada devido ao Coronavírus.

Jogadoras do Sesc-Flamengo comemoram em quadra contra o Osasco — Foto: Gilvan de Souza/Flamengo
1 de 2 Jogadoras do Sesc-Flamengo comemoram em quadra contra o Osasco — Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Jogadoras do Sesc-Flamengo comemoram em quadra contra o Osasco — Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

- Chegamos às semifinais da Superliga e, principalmente no feminino, é uma bela surpresa, não é? Ter novamente o Sesc- Flamengo , que representa o Rio de Janeiro. Um projeto excelente, que ao longo dos anos sempre marcou presença nas semifinais, mas, nas últimas temporadas, teve grandes problemas - diz Carlão, comentarista do sportv.

Agora, o time do técnico Bernardinho quer se mostrar ainda mais forte depois de derrubar o Osasco nas quartas de final. Ao contrário de outras épocas, não conta com estrelas, mas tem no grupo o seu maior destaque. Nomes como Peña, Maíra, Monique, Giovanna e Natinha cresceram na reta final da fase de classificação. No ritmo delas, o Sesc- Flamengo engatou a boa sequência que o levou às semifinais. O desafio, agora, é fazer frente ao Praia Clube, equipe mais regular da temporada.

- Bernardinho trabalhou bastante para acertar. Foi um início meio conturbado. E obviamente, Bernardinho, toda vez que chega numa semifinal, ainda que não chegue como favorito dessa vez, mas semifinal é semifinal. Praia é o favorito. Mas o que vai valer é a concentração no momento dos jogos - afirmou Carlão.

Os times abrem a série da semifinal nesta sexta-feira, às 18h30, em Uberlândia. O sportv2 transmite ao vivo, e o ge acompanha tudo em tempo real . A equipe carioca vai tentar surpreender as rivais fora de casa para, quem sabe, decidir a vaga no Rio de Janeiro, na próxima terça-feira.

Sesi-SP volta a crescer

Na Superliga Masculina, o Sesi-SP também tenta recuperar seus dias de glória. Campeão na temporada 2010/2011, soma outras quatro finais e dois bronzes em sua história. Depois da queda na decisão contra o Taubaté, em 2018/2019, viu o investimento diminuir. Na temporada seguinte, cancelada por conta do Coronavírus, já passou a apostar em jovens revelações, apenas com Murilo, capitão, à frente.

Sesi-SP está de volta às semifinais da Superliga — Foto: Divulgação
2 de 2 Sesi-SP está de volta às semifinais da Superliga — Foto: Divulgação

Sesi-SP está de volta às semifinais da Superliga — Foto: Divulgação

Na temporada passada, fez uma de suas piores campanhas na Superliga. Terminou em décimo lugar, apenas uma posição à frente da zona de rebaixamento. O investimento, então, aumentou. Nomes como Eder, Matheus Brasília, Birigui e Guiga voltaram ao clube da Vila Leopoldina, além da chegada do técnico Anderson Rodrigues. Ao lado de Darlan, maior arma ofensiva do time, deram corpo à equipe, que se firmou como um dos melhores times da atual edição.

- A volta do Sesi também, voltando a figurar em uma semifinal. Uma equipe que aumentou os investimentos para essa temporada. Tem o técnico Anderson no banco, fazendo um belo trabalho. É uma equipe com jovens talentos, mais alguns jogadores de experiência. Isso é importante - diz Carlão.

Na semifinal, vai encarar uma pedreira. O time paulista reedita um dos maiores clássicos da Superliga ao enfrentar o Cruzeiro. As duas equipes já fizeram quatro finais da competição – o único título paulista, aliás, foi contra os mineiros. A primeira partida será neste sábado, às 16h30, também com transmissão do sportv2.

Fonte: Globo Esporte
)