Nesta segunda, o Flamengo bateu a Portuguesa por 3 a 1 no Canindé e garantiu vaga na decisão da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2018. Os gols da equipe carioca foram marcados por Vitor Gabriel – duas vezes - e Luiz Henrique, enquanto Davi e Pernambuco descontaram para a Lusa.

Agora, o time do Rio de Janeiro espera o vencedor do confronto entre São Paulo e Internacional, ainda hoje, às 20:00 (horário de Brasília - com transmissão AO VIVO da ESPN Brasil e WatchESPN), para conhecer seu adversário na final.

O JOGO

Atuando em casa e empurrada pela torcida, presente em um bom público no Canindé, a Portuguesa começou empolgada, logo abrindo o placar. Aos 8 minutos, Cesinha recebeu na ponta esquerda e cruzou para Davi apenas escorar para o gol.

Mas a vantagem durou pouco. Logo aos 12 minutos, Luiz Henrique cobrou falta dentro da área e Vitor Gabriel escorou para as redes, sem chances para o goleiro Matheus e empatando a partida.

Com o empate, o jogo ficou aberto, com chances para as duas equipes. Por duas vezes, Cesinha exigiu boas defesas do goleiro Yago, mostrando que a equipe paulista estava no jogo.

Mas a dupla Luiz Henrique/Vitor Gabriel estava inspirada. Aos 36, Vitor Gabriel avançou pela esquerda e cruzou para Luiz Henrique concluir e virar o jogo para o Flamengo.

Na volta para a segunda etapa, a equipe carioca continuou pressionando, repetindo a dobradinha. Aos 15, Luiz Henrique cruzou da direita para Vitor Gabriel escorar. A bola ainda bateu no travessão e morreu dentro das redes, anotando o segundo do atacante no jogo e quarto na Copinha.

A virada fez com que a Lusa voltasse a pressionar. Aos 34, em bola alçada na área do Flamengo, o atacante Pernambuco venceu a zaga e cabeceou sem chances para o goleiro, diminuindo o marcador. Com um gol atrás, a Portuguesa se lançou ao ataque em busca do empate, porém esbarrando no goleiro Matheus e na zaga carioca, que seguraram o placar e garantiram o time na final.

Esta é a quarta vez que o Flamengo chega na final da Copinha, competição na qual tentará manter os 100% de aproveitamento em decisões. A última foi em 2016, ano do último título.