Muito bem no estadual e muito mal no regional. Esta tem sido a vida do Confiança neste início de temporada 2016. Enquanto lidera a segunda fase do Campeonato Sergipano, a equipe do técnico Betinho está na lanterna do grupo C da Copa do Nordeste. O cenário atual diz muito sobre o rival do Flamengo nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil, que tem sofrido quando encontra rivais com um nível técnico maior, casos de Bahia e Santa Cruz. Em quatro jogos contra eles no regional, foram 10 gols tomados e só um marcado.

Em campo, a equipe é distribuída no 4-2-3-1, mas com quase ninguém guardando posição. Com e sem a bola, inclusive. Chama a atenção a falta de disciplina tática neste sentido, já que é possível reparar os jogadores marcando só a bola em vários momentos. A linha defensiva de 4 vê seus laterais fora de posição em vários momentos. Izaldo, lateral-esquerdo que tem sido o titular, circula o campo inteiro em ambos os momentos, tanto no ofensivo quanto no defensivo. É possível ver o volante Hamilton se posicionando em seu setor para compensar a "liberdade" do camisa 6.

Com a bola, trata-se de uma equipe que mostra dificuldades na criação. A iniciação das jogadas, muitas vezes feita pelos zagueiros, pouco tem fluído. É com Hamilton que a bola sai com um pouco mais de qualidade. Elielton, o outro volante, mostra pouco repertório quando tem a bola. Flavio, que pode aparecer na sua vaga, tem um pouco mais de recurso.

622 99fb0a28 d338 3fbe 87e5 b5b94fbd6512
Técnico do Confiança-SE, sobre partida contra o Flamengo: 'O objetivo é buscar o segundo jogo'

Quando o Confiança tem a bola, a linha de três meias inverte muito de posição. É possível ver os jogadores caindo por diferentes setores. Com os laterais mais soltos, a bola aérea é uma das jogadas mais presentes neste momento ofensivo. Também por conta de Leandro Kível. Com boa estatura e imposição física, o camisa 9 costuma ser perigoso nesse jogo aéreo e na disputa da primeira bola. Danilo Balla, normalmente pelo lado direito, é o jogador mais móvel, que busca o 1x1 ofensivo e as jogadas de mais velocidade.

Sem grandes recursos para criar, a bola parada ofensiva acaba sendo uma das armas da equipe, que gosta de cobrar o lateral longo para a área, sempre buscando Kível. Nas batidas, Wallace Pernambucano mostra recurso. O meia, inclusive, é uma das poucas referências técnicas da equipe. Com uma qualidade um pouco acima dos demais, a bola acaba sempre passando em seus pés nos lances mais criativos da equipe.

Vale ressaltar que o treinador Betinho fechou os treinos de segunda e terça-feira, por isso se tornou quase impossível apontar seus planos para o duelo contra o Flamengo. O argumento é que foram feitos trabalhos táticos e que podem aparecer "espiões rubro-negros" de olho no trabalho em campo. A análise foi toda feita encima dos últimos jogos do Confiança. Caso não aconteça muitas mudanças, como a entrada de mais volantes ou a tentativa de deixar uma equipe mais defensiva, o time sergipano deve ir a campo com: Rafael Sandes; Caíque, Valdo, Lucas Rocha e Izaldo; Elielton (ou Flávio) e Hamilton; Danilo Balla, Wallace Pernambucano e Everton; Leandro Kível.