Como Lincoln foi de joia do Flamengo a jogador negociado por 5% da multa

A saída de Lincoln do Flamengo - com a venda ao Vissel Kobe, do Japão, após o atleta ser afastado do elenco principal no fim de 2020 - não corresponde em nada à expectativa em torno do atacante que se destacou nas divisões de base do clube e da Seleção Brasileira. Os erros cometidos na transição do jovem centroavante para o elenco profissional foram muitos, e ajudam a explicar a dificuldade de Lincoln em firmar-se no time principal até a iminente despedida.

Integrado ao elenco profissional do Rubro-Negro ainda aos 16 anos, em 2017, Lincoln, que "sobrava" nas categorias respectivas a sua idade, já havia pulado outras etapas nas divisões de base do clube. Abaixo, o LANCE! relembra os passos do centroavante, que foi de joia da base a atleta afastado em 2020.

> Confira a tabela e simule as próximas rodadas do Campeonato Brasileiro!

DO SUCESSO NA BASE AO AFASTAMENTO DO TIME PRINCIPAL

Lincoln chegou às divisões de base do Flamengo em 2011 e o destaque foi imediato. Com um ano de clube, o centroavante já estava "sob os holofotes" e patrocinado por uma das principais fornecedoras de material esportivo do mundo - o que chamava ainda mais atenção para o menino natural de Serra, no Espírito Santo. Já a partir dos 14 anos, as convocações para as seleções de base do Brasil passaram a ser uma constate na vida do promissor atacante.

Com o bom desempenho, Lincoln passou a frequentemente "subir" de time no Flamengo. Em 2014, aos 14 anos, foi o destaque do título da Copa Amizade Sub-15, com dois gols na vitória por 5 a 0 sobre o Corinthians na decisão. Apesar da idade para defender o Sub-14, Lincoln sempre jogava na "de cima".

Outro salto ainda maior aconteceu em 2016, quando passou a disputar torneios do Sub-20 antes mesmo de completar 17 anos. Neste período, o atacante já tinha a companhia de Vinícius Jr, revelado no Ninho. O craque do Real Madrid, nascido em julho de 2000, é seis meses mais velho que Lincoln.

Em dezembro de 2016, Lincoln e Vinícius Júnior defenderam o Flamengo na Copa RS Internacional, e, mesmo enfrentando atletas até quatro anos mais velhos, o atacante marcou gol e se destacou na campanha rubro-negra até a semifinal, quando perdeu para o Botafogo por 1 a 0, com do zagueiro Kanu.

SALTO PARA O PROFISSIONAL COM 16 ANOS

O ano de 2017 começou da mesma forma, com Lincoln atuando pela equipe Sub-20 na Copa São Paulo, uma das mais tradicionais competições de base. Com 16 anos recém-completados, o centroavante novamente foi bem, sendo titular em todos jogos até a semifinal, quando o Corinthians eliminou o Fla. A partir disso, Lincoln passou a sempre defender a equipe Sub-20 rubro-negra, além de destacar-se pela Seleção Brasileira Sub-17, ao lado de Vinícius Júnior.

Ainda em 2017, um mês antes de completar 17 anos, Lincoln fez sua estreia no time profissional e foi integrado de vez ao elenco profissional do Flamengo. A sua subida, contudo, deu-se por necessidade. Com Paolo Guerrero suspenso por doping, Reinaldo Rueda tinha apenas Felipe Vizeu como centroavante à disposição. Por vezes, o técnico precisou improvisar Lucas Paquetá na função.

A partir disso, Lincoln, que havia feito um ano de Sub-20 completo, iniciou a temporada de 2018 como parte do grupo principal, e jamais voltou a atuar pelas equipes de base do Flamengo. Ao mesmo tempo, o atacante também não teve chances de atuar consecutivamente no time principal. Desde então, foram 11 partidas como titular: duas em 2018, cinco em 2019 e mais quatro em 2020.

Das 52 partidas que o centroavante saiu do banco da equipe profissional do Flamengo desde 2017, Lincoln entrou após os 30 minutos da etapa final. Ou seja, atuou por 15 minutos ou menos, sem contar com os acréscimos dados.

Assim, Lincoln teve o trabalho de formação na base interrompido e, ao mesmo tempo, pouco pôde atuar entre os profissionais. Além dos impactos no desenvolvimento técnico e físico do jogador, ainda há a questão de confiança e psicológica para o atleta que fica tanto tempo sem uma sequência positiva.

TRAJETÓRIA ENCERRADA EM BAIXA

O fim da trajetória de Lincoln pelo Flamengo ainda tem outro episódio com o atrito entre o departamento de futebol e os empresários do atleta. Marcado por uma chance desperdiçada na final do Mundial de Clubes, Lincoln já não contava com o carinho de grande parte da torcida e sua saída já era desejada no segundo semestre de 2020. O clube, por sua vez, aguardava uma proposta.

Por não estar mais nos planos do futebol profissional, foi determinado a Lincoln que ele se apresentasse ao Sub-20 em dezembro, dias antes de completar 20 anos e estourar a idade limite da categoria. Era uma situação inédita para o atacante, que estava integrado ao elenco profissional há três anos. O jogador e seu estafe relutaram, de início, e o mesmo acabou punido.

Além do constrangimento, o episódio ainda pode ter passado uma mensagem negativa aos interessados em contratar Lincoln. Quais motivos levaram o afastamento do atleta do elenco profissional: técnico, físico ou disciplinar?

O Flamengo não se manifestou sobre o episódio, mas acertou a venda de Lincoln, cujo contrato era válido até 2023, por 3 milhões de dólares por 75% dos direitos econômicos. O valor, em torno de R$ 15,6 milhões, de acordo com o câmbio de quinta-feira, representam 5% da multa rescisória estipulada no vínculo, no valor de 50 milhões de euros, aproximadamente R$ 319 milhões.

Botafogo x Flamengo - Lincoln

O atacante Lincoln deixará o Flamengo sem corresponder às expectativas (Foto: FCesar/Ofotografico/Lancepress!)

Fonte: Lancenet
)