Rio - A Comissão Permanente de Assuntos Jurídicos do Flamengo decidiu, nesta quarta-feira (7), arquivar o pedido de suspensão contra o vice-presidente de futebol do clube, Marcos Braz. A decisão foi tomada de forma unânime. As informações são do site "ge".
O pedido pela suspensão de Braz foi feito por cinco associados do clube: Walter de Oliveira Monteiro, Júlio Hofacker James, Rodrigo Gustavo Rötzsch, Rubem Ricardo de Azevedo e Thiago Graça Ramos. Eles fizeram a solicitação ao Conselho de Administração um dia após a divulgação de imagens do dirigente agredindo Leandro Campos, entregador e torcedor do Flamengo, em um shopping na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.
Em sua alegação, o grupo afirmou que Marcos Braz infringiu os artigos 39 (praticar vias de fato), 50 (Praticar ato de grave indisciplina social) e 51 (praticar ato delituoso). No entanto, a Comissão Permanente de Assuntos Jurídicos do Flamengo, presidida por Marcus Antônio de Souza Faver, entendeu que o pedido era inconsistente e determinou o arquivamento do processo a Luiz Eduardo Baptista, o Bap, presidente do Conselho de Administração.
Além de Faver, a Comissão é composta pelos conselheiros Marcio Mattos Carneiro, Luiz Fernando Fragoso Machado, Mario Alberto Pucheu e Eduardo Bezerra Carreirão da Silva. Todos concordaram com o arquivamento.