Árbitro de Atlético-MG x Flamengo não relata cantos homofóbicos e misóginos na súmula da partida

Luiz Flávio de Oliveira, árbitro da partida entre Flamengo e Atlético-MG pela Copa do Brasil , não relatou os cantos homofóbicos e misóginos proferidos pela torcida do Galo, na súmula da partida. O duelo, vencido pelos donos da casa por 2 a 1, chegou a ser paralisado por conta das músicas preconceituosas destinadas aos rubro-negros.

Apesar disso, Luiz Flávio relatou arremessos de objetos vindos de torcedores atleticanos durante o confronto. Aos oito minutos da segunda etapa, um isqueiro foi arremessado próximo a Arrascaeta em uma cobrança de escanteio. Aos 15, um ferro com porca rosqueada e uma ruela foram atirados na área penal do Flamengo.

O árbitro também colocou no documento oficial do jogo ofensas proferidas por Luiz Cláudio Cotta da Silva, chefe da delegação carioca, no intervalo da partida. Luiz Flávio afirmou ter ouvido que durante o acesso aos vestiários que "ninguém vai roubar o Flamengo não, c...".

No confronto, o Atlético-MG venceu o Flamengo por 2 a 1 e possui vantagem contra os cariocas para o confronto de volta, marcado para o próximo dia 13 de julho. Hulk e Ademir marcaram os gols dos mandantes, enquanto Lázaro descontou para os cariocas.

Luiz Flavio de Oliveira

Luiz Flávio de Oliveira ignorou cantos preconceituosos da torcida do Galo na súmula (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras)

Fonte: Lancenet
)