O Fluminense perdia para o Botafogo até os minutos finais do segundo tempo, quando conseguiu o gol de empate, anotado pelo zagueiro Gum. O lance saiu de uma jogada de bola parada. O resultado, na visão dos tricolores, deixa evidente a necessidade de se trabalhar cada vez mais esse tipo de situação, tão comum na maioria dos jogos. O técnico Levir Culpi entende que esse pode ser um fator decisivo na temporada.

"Vamos sempre trabalhar muito a questão da bola parada. No clássico contra o Botafogo muitas oportunidades apareceram e por isso mesmo vamos sempre intensificar esse trabalho. A jogada aérea é a mais complicada de se neutralizar no futebol, uma vez que trata-se de uma questão física, já que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. É a jogada mais difícil de um jogo, portanto, não vai acabar nunca", disse o treinador.

O lateral-esquerdo Giovanni concorda. "Sabemos que uma jogada de bola parada pode acabar fazendo toda a diferença, ainda mais em clássicos, onde o equilíbrio entre os times costuma ser muito grande. O Fluminense precisa estar sempre bem neste sentido, pois temos a oportunidade de marcar gols importantes e vencer jogos por conta disso", afirmou o jogador.

Autor do gol no domingo, Gum lembra a importância de trabalhar essas jogadas, não só para fazer gols, mas para evitá-los também.

"Sabemos que vamos precisar estar muito atentos a tudo o que acontece em um jogo e as jogadas de bola parada são armas importantes. Temos que saber aproveitá-las para marcar gols, mas também é muito importante estarmos preparados para neutralizar essas mesmas jogadas que partem dos nossos adversários. O Fluminense tem um grupo que se esforça muito nos treinos, o Levir está sabendo aproveitar o nosso melhor e tenho certeza de que vamos evoluir", disse o defensor.

Nesta terça-feira, apenas os jogadores que estão em transição entre o departamento médico e a preparação física trabalharam. O artilheiro Fred mais uma vez foi a campo e mostrou não sentir dores. Outro atacante, Richarlison, sofreu torção leve no tornozelo esquerdo, mas a princípio não preocupa. Os dois ainda não têm presença garantida no grupo que vai enfrentar o Flamengo no próximo domingo, às 16h,  no Pacaembu, em São Paulo (SP), pela segunda rodada da Taça Guanabara.

O zagueiro Henrique e o volante Pierre, que cumpriram suspensão no empate com o Botafogo, voltam a ficar à disposição da comissão técnica. A definição da equipe começa nesta quarta-feira, em treino previsto para a parte da tarde nas Laranjeiras.