O Flamengo conseguiu em cerca de dois meses atualizar dois contratos de patrocínio que vão render pelo menos R$ 38,8 milhões além do previsto inicialmente. O mais recente foi o acordo com a Pixbet pelo espaço principal da camisa rubro-negra, que passou a ser o maior patrocínio master do clube .
Somente com esse novo acordo, o Flamengo passa a ganhar R$ 20 milhões a mais. E esse valor será ainda maior em 2025. Anteriormente acertado em R$ 85 milhões anuais, o contrato precisou ser atualizado diante de outras ofertas recebidas pelo clube para que voltasse a ser o maior do Brasil.
E agora, o Rubro-Negro receberá R$ 105 milhões em 2024 para, no ano seguinte, subir para R$ 115 milhões , com possibilidade de crescer ainda mais numa futura renovação em 2026.
Outra negociação bem-sucedida foi com o banco BRB, para o espaço na omoplata, aprovado em abril. De R$ 6,2 milhões, o Flamengo conseguiu acertar para receber R$ 25 milhões , um aumento de R$ 8,8 milhões. Além disso, há mais um pagamento mínimo de R$ 15 milhões anuais , referente ao número de clientes no Nação, banco do clube na parceria. Esse valor, além da garantia, dá mais previsibilidade no orçamento, já que antes o pagamento era de R$ 0,30 por cadastro, o que variava.
Com isso, o total a receber por esse espaço na camisa é de R$ 40 milhões , com possibilidade de ser maior.

Uniforme do Flamengo pode valer quase R$ 300 milhões

Soma-se a esses dois patrocínios a renovação com a Adidas , também em abril. O Flamengo tem a garantia mínima de R$ 44 milhões anuais, mas pelo novo acordo, a empresa de material esportivo pode pagar de R$ 70 milhões a R$ 90 milhões por temporada , em caso de conquistas alcançadas.
Diante desses contratos, o uniforme do Flamengo passa a valer R$ 249,9 milhões, no mínimo, podendo chegar ao fim do ano entre R$ 275,9 milhões e R$ 295,9 milhões em caso de títulos e aumento no número de cadastros no banco Nação.

Os valores de cada patrocínio no uniforme do Flamengo

- Pixbet (master): R$ 105 milhões/ano
- Adidas (fornecedor): R$ 44 milhões/ano (podendo chegar de R$ 70 milhões a R$ 90 milhões)
- BRB (omoplata): R$ 25 milhões/ano
- Mercado Livre (costas): R$ 21,5 milhões/ano
- Kwai (manga): R$ 10 milhões
- ABC (short): R$ 7,1 milhões
- Assist card (barra traseira): R$ 8,5 milhões
- Tim (número): R$ 7 milhões
- Zé Delivery (meião): R$ 6,8 milhões/fim de 2024